Quais músculos que compõem a musculatura da parede abdominal?

A musculatura da parede abdominal é formada pelos músculos transverso do abdome, reto abdominal, oblíquo interno e oblíquo externo. Esses músculos estão localizados na face anterior do tórax, mais precisamente na região inferior.

Do ponto de vista anatômico, esses músculos estão dispostos da seguinte maneira: transverso do abdome, reto abdominal, oblíquo interno e por fim o oblíquo externo. Ou seja, caso fossemos realizar uma dissecação dos músculos da parede abdominal, inicialmente teríamos que retirar o oblíquo externo, em seguida o interno, na sequencia o reto abdominal e por fim o transverso do abdome.

treino_em_foco_anatomia_parede_abdominal

Figura 1 – Músculos da parede abdominal.

Quais os pontos de fixações (origem e inserção) e movimentos que os músculos que compõem a musculatura da parede abdominal produzem?

Iremos iniciar pelo transverso do abdome. Esse músculo tem sua origem localizada na face interna da sétima a décima segunda costelas. Já sua inserção está localizada na bainha do músculos reto abdominal. Diante desses pontos de fixações, ao contrair-se terá capacidade de produzir os movimentos de compressão e sustentação dos órgãos abdominais e também auxiliará no ato da expiração.

O transverso do abdome como já mencionado anteriormente no texto é o músculo mais profundo da parede abdominal. Suas fibras tem a característica de estender-se horizontalmente e contornarem a cintura da coluna vertebral a linha alba. É único por não possuir ação verdadeira. Entretanto, é conhecido pela função de aumentar a pressão intra-abdominal. O transverso une-se com aos oblíquos interno e externo na bainha do músculos reto abdominal, um envoltório resistente de tecido conjuntivo que termina anteriormente na linha alba e reveste o músculos reto. Como mencionado acima, a contração deste músculo produzirá uma compressão dos órgãos e do conteúdo da cavidade abdominal. Esta compressão ajudará em três propósitos/funções; primeiro, ajudará a expulsar o ar durante a expiração forçada; segundo, auxiliará na expulsão de conteúdo como urina, fezes e vomito; terceiro, e segundo a literatura a função mais importante, que é o auxílio na sustentação e estabilização da região lombar da coluna vertebral. Em virtude desse último propósito/função o transverso do abdome é conhecido como cinta abdominal.

treino_em_foco_anatomia_parede_abdominal

Figura 2 – Transverso do abdômen.

Reto abdominal

Por sua vez o músculo reto abdominal tem sua origem localizada na crista ilíaca e sínfise púbica, e sua inserção está da quinta até a sétima cartilagens costais e também no processo xifoide do esterno. Dessa forma, quando contrai-se terá a capacidade de produzir os movimentos de flexão toracolombar da coluna vertebral e retroversão pélvica quando atua em ação bilateral, e quando atuar de forma unilateral terá a capacidade de produzir o movimento de inclinação ou flexão lateral da coluna vertebral.

O reto abdominal é o músculo mais anterior dos que compõem a parede abdominal. Um ponto importante a salientar, é que os retos direto e esquerdo são separados por uma estrutura vertical denominada de linha alba, e conectam o esterno e as cartilagens costais (quinta a sétima) ao púbis. Ainda, as fibras do reto abdominal são segmentadas horizontalmente. Assim cada reto do abdome é dividido em cinco ventres por linhas horizontais de tecido conjuntivo, apresentando um aspecto de seis gomos ou tanquinho, que os outros músculos recobrem os ventres mais superiores e inferiores. É importante entender que essa segmentação do reto abdominal permitirá movimentos graduais de flexão toracolombar da coluna vertebral.

treino_em_foco_anatomia_parede_abdominal

Figura 3 – Origem e inserção.

Oblíquos internos

Os músculos oblíquos internos tem sua origem localizada na aponeurose toracolombar, parte na crista ilíaca e parte também no ligamento inguinal. Por sua vez, a inserção está localizada na face interna da décima a décima segunda costelas e também na bainha do músculos reto do abdome. Ao contrair de forma bilateral como no caso do reto abdominal terá a capacidade de produzir o movimento de flexão toracolombar da coluna vertebral. Já ao contrair de forma unilateral terá a capacidade de produzir os movimentos de flexão ou inclinação lateral da coluna vertebral, principalmente as fibras mais laterais que tem um sentido mais verticalizado, rotação da coluna vertebral para o lado oposto principalmente as fibras mais anteriores que tem um sentido mais obliquo e ainda compressão e sustentação dos órgãos abdominais.

Esse músculo (oblíquo interno) é superficial ao transverso do abdome, profundo ao obliquo externo e lateral ao reto abdominal. Tem por característica ser um motor primário espesso e forte. Suas fibras estendem-se de forma obliqua a partir da linha alba em sentido inferior até o osso ílio e posterior até a aponeurose toracolombar. Oblíquos interno e externo atuaram em conjunto com o transverso do abdome para comprimir e proteger o conteúdo abdominal durante o ato da expiração forçada. Por outro lado, quando os oblíquos internos e externos atuam juntos com o músculos reto abdominal produzirão os movimento de flexão toracolombar da coluna vertebral. Ou seja, o músculos oblíquos atuaram como sinergista para produzir o movimento de flexão toracolombar da coluna vertebral, pois o motor primário é o reto abdominal. Já nos movimentos de rotação da coluna vertebral por exemplo, para rodar para o lado direto, o oblíquos interno direito atuará com o externo oposto. Já para rodar o tronco para o lado esquerdo, o oblíquo interno atuará com o externo oposto.

treino_em_foco_anatomia_parede_abdominal

Figura 4- Origem e inserção.

Oblíquos externos

Por fim, o músculos oblíquos externos tem sua origem localizada na face externa da quinta a décima segunda costelas, enquanto sua inserção está localizada na região anterior da crista ilíaca, tubérculo púbico e na bainha do músculos reto abdominal. Um ponto importante a salientar, é que os oblíquos externos apresenta as fibras mais laterais com um sentido mais verticalizado. Já as fibras mais anteriores apresentam um sentido mais obliquo. Diante disso, quando o músculos oblíquos contrair-se de forma bilateral terá a capacidade de produzir o movimento de flexão toracolombar da coluna vertebral. Neste movimento ele (oblíquos externo assim como oblíquo interno) aturam como sinergista, ou seja, auxiliadores do principal flexor da coluna vertebral o reto abdominal. Ainda neste movimento as fibras mais anteriores dos oblíquos serão acionadas.

Um outro movimento que será capaz de produzir é a flexão ou inclinação lateral da coluna vertebral. Para isso, atuará em sinergismo com os oblíquos interno do mesmo lado, reto abdominal do mesmo lado e ainda com os eretores da espinha e quadrado lombar. Ao produzir esse movimento (flexão ou inclinação da coluna vertebral) as fibras mais laterais serão acionadas em relação as fibras mais anteriores. Ainda terá a capacidade de produzir o movimento de rotação lateral em conjunto com os oblíquos internos. Ou seja, para produzir esse movimento de rotação atuará com os oblíquos internos opostos ao lado da rotação. Por fim, em conjunto com o transverso do abdome e novamente com o oblíquos interno terá a capacidade de produzir uma compressão e sustentação dos órgãos abdominais.

treino_em_foco_anatomia_parede_abdominal

Figura 5 – Origem e inserção.

Como treinar os músculos da parede abdominal no treinamento resistido com pesos?

Nesta parte de texto iremos segmentar o raciocínio para o seu melhor entendimento. Caso o personal trainer esteja buscando produzir um trabalho de fortalecimento, aumento dos níveis de força, ou ainda produzir ajustes hipertróficos principalmente no músculo reto abdominal é necessário que ele venha a aplicar resistência contra o movimento em que o músculo em questão seja motor primário. Diante disso, como descrito acima no texto o principal movimento que o reto abdominal produz ao se contrair é a flexão toracolombar da coluna vertebral. Portanto, em uma sessão de Treinamento Resistido com Pesos (TRP), o personal trainer deverá buscar aplicar resistência que busquem produzir o movimento de extensão toracolombar da coluna vertebral. Dessa forma, quando o aluno/cliente buscar vencer a resistência produzirá o movimento de flexão toracolombar e assim a treinabilidade do músculos reto abdominal.

Entretanto, é preciso que você entenda que na realização desses movimento (flexão toracolombar da coluna vertebral) existirá um sinergismos. Ou seja, principalmente as fibra mais anteriores dos músculos oblíquos internos e externos irão auxilia o músculos reto abdominal a produzir o movimento de flexão toracolombar. Ainda se personal trainer orientar o seu cliente a realizar uma expiração durante a fase concêntrica do movimento (no ato da flexão toracolombar) ocorrerá um forte acionamento dos transverso do abdome.

treino_em_foco_anatomia_parede_abdominal

Figura 6 – Variações para músculos abdominais.

Já caso o objetivo do personal trainer seja produzir um trabalho mais focado sobre os oblíquos interno e externo, deverá buscar aplicar resistência contra os movimentos de flexão ou inclinação lateral e rotação da coluna vertebral. Um ponto importante a salientar é que no momento em que o aluno/cliente produzir o movimento de inclinação ou flexão da coluna vertebral estará trabalhando o oblíquo interno e externo do mesmo lado. Ou seja, ao realizada a inclinação para o lado direto o oblíquo interno e externo deste lado estarão atuando. Por outro lado, na produção dos movimentos de rotação essa logico altera-se. Isto é , caso o objetivo seja a produzir a rotação par ao lado esquerdo, ocorrerá a contração do oblíquo externo do lado direito e contração do oblíquo interno do lado esquerdo.

É preciso lembrar que se o objetivo seja trabalhar principalmente as fibras mais laterais do oblíquos interno e externo o personal trainer deverá buscar produzir o movimento de inclinação ou flexão lateral da coluna vertebral. Entretanto, não será só as fibras dos oblíquos que atuaram, ou seja, ocorrerá um sinergismo muscular. Assim, na realização da inclinação ou flexão da coluna vertebral ocorrera o acionamento também dos músculos reto abdominal, iliocostal, longuíssimo, quadrado lombar e intertranversários. Como todos esses músculos citados são bilaterais, ocorrerá acionamento dos seus feixes do lado em que está ocorrendo a inclinação ou flexão.

Já na realização dos movimentos de rotação da coluna vertebral, as fibras mais anteriores do oblíquos interno e externo estarão atuando. Junto com esses motores primários ocorrerá um acionamento de vários músculos que irão auxiliar no movimento, sendo assim, sinergista. Dessa forma, caso a rotação esteja ocorrendo para o lado esquerdo, ocorrerá ao acionamento além do oblíquos externo direto e interno esquerdo, atuação do músculos semiespinhal direito, multifidios direto e rotadores direito.

treino_em_foco_anatomia_parede_abdominal

Figura 7 – Variações para oblíquos.

Alunos analisem a vídeo aula!!!