Treinamento Fartlek é conhecido como o jogo de velocidade.

treino_em_foco_treinamento_fartlek_aeróbio

O que é o treinamento Fartlek?

O treinamento Fartlek é considerado pela literatura o precursor do sistema de treino intervalado. Esse método de treinamento aeróbio (Fartlek) foi desenvolvido em meados de 1930 na Suécia, e tem como característica realizar um jogo de velocidade durante a sessão de treinamento. Ou seja, durante a sessão de treinamento o indivíduo não realizará um padrão de intensidade. Outra característica do treinamento Fartlek é que os intervalos de trabalho e de recuperação não são sincronizados com precisão, com isso todo a sessão de treinamento é realizada de forma contínua. Ou seja, não há um tempo determinado para que o indivíduo permaneça em uma determinada velocidade durante a sessão de treinamento.

Esse método de treinamento é amplamente utilizado por nadadores, corredores e ciclistas. Sessões de treinamento Fartlek tem por principal objetivo proporcionar aprimoramentos na capacidade aeróbia dos indivíduos. Todavia em virtude das alternâncias de velocidade e consequentemente de intensidade aponta-se que este método de treinamento poderá aprimorar também a capacidade anaeróbio do indivíduo.  De um modo geral podemos entender que esse método de treinamento enfatiza tanto as vias de produção de energia aeróbia e anaeróbio. Obviamente os níveis de adaptações gerados serão determinados pela intensidade e duração do treinamento aplicado.

Links relacionados ao seu guia de estudo sobre o tema:

Qual a forma que o indivíduo poderá controlar a manipulação das velocidades durante a realização do treinamento Fartlek por exemplo em esteira?

Como descrito acima no texto, o treinamento Fartlek tem como característica não ter uma padronização de intensidade ou seja, de velocidade da corrida. Entretanto, é necessário durante qualquer sessão de treinamento seja ela de exercícios resistidos ou aeróbios como é o caso do Fartlek, realizar de alguma forma o controle da intensidade. Diante disso, para realizar o “controle” da intensidade, ou seja, das velocidades que serão aplicadas durante a sessão do Fartlek o indivíduo poderá utilizar a sua Percepção Subjetiva de Esforço (PSE) ou trabalhar sobre valores de frequência cardíaca, utilizando um aparelho cardiofrequencimetro.

A apresentação da forma de aplicação do treinamento Fartlek foi realizada no vídeo. Assista e análise o vídeo.

treinamento_fartlek_treino_em_foco_controle

O que a literatura científica apresenta sobre o treinamento Fartlek?

Alguns estudos foram desenvolvidos (Fahmi, Omar e Hamid 2014; Babu e Kumar  2014; Eleckuvan 2014; Antony e Tomar 2016) na literatura cientifica para analisar as repercussões das realizações de treinamento de Fartlek. Com objetivo de avaliar a eficácia do Fartlek sobre a aptidão cardiorrespiratória em idosos, Fahmi, Omar e Hamid (2014) recrutaram 15 indivíduos com idade entre 50 a 60 anos. Os pesquisadores aplicaram um programa de intervenção de seis semanas, com frequência semanal de três vezes e uma hora por sessão. O teste utilizado para analisar a aptidão cardiorrespiratório dos indivíduos foi o teste de step de três minutos. Foi incluído também no estudo um grupo controle, ou seja, grupo que não realizou nenhum tipo de treinamento.

Ao final do período de intervenção os pesquisadores identificaram que o treinamento Fartlek demonstrou-se eficaz para melhora nos níveis cardiorrespiratório para indivíduo idosos. Ou seja, o grupo intervenção apresentou melhoras estatisticamente significativas (p<0.05) na aptidão cardiorrespiratória, quando comparado ao grupo controle. Com objetivo diferente do estudo supracitado, Babu e Kumar  (2014), tiveram buscaram descobrir o efeito do treinamento continuo de Fartlek e do treinamento intervalado sobre a velocidade e coordenação entre jogadores de futebol masculino. Para isso, foram recrutados 60 jogadores de futebol masculino, com idade entre 18 e 23 anos. Em seguida os indivíduos foram divididos em quatro grupos, sendo eles: Grupo A que realizou o treinamento de corrida continuo; Grupo B que realizou treinamento Fartlek; Grupo C que realizou o treinamento intervalado; e Grupo D que foi o controle, ou seja, não realizou qualquer tipo de treinamento. Na análise dos dados os pesquisadores observaram que a valência biomotora de velocidade foi melhorada nos grupos de treinamento de corrida continuo, grupo de treinamento Fartlek e grupo de treinamento intervalado quando comparado ao grupo controle. Entretanto, a velocidade foi significativamente melhorada no grupo de treinamento intervalado quando comparado com o grupo de treinamento de corrida continuo e grupo Fartlek.

Por sua vez, a capacidade de coordenação foi melhorada nos grupos de treinamento de corrida continua, grupo Fartlek e grupo de treinamento intervalado, quando comparado ao grupo controle. Novamente como ocorreu na valência biomotora de velocidade os incrementos na coordenação foram superiores no grupo de treinamento intervalado quando comparado ao grupo treinamento continuo e Fartlek. Por fim, os pesquisadores apresentam que a melhora nos níveis de coordenação foram significativamente maiores no grupo Fartlek quando comparado ao grupo de treinamento continuo.

Já com o objetivo de verificar o efeito do programa de treinamento Fartlek sobre alguns parâmetros fisiológicos (consumo máximo de oxigênio e frequência cardíaca de repouso), Eleckuvan (2014) aplicou 20 semanas de treinos Fartlek com uma frequência de três vezes por semana, em homens não atletas, com idade entre 20 a 22 anos. Após o período de intervenção os pesquisadores observaram melhoras significativas (p<0.05) no consumo de oxigênio máximo e reduções da frequência cardíaca de repouso. Diante disso, pode-se entender que a metodologia de treinamento Fartlek foi capaz de produzir melhoras significativas nos parâmetros fisiológicos analisados.

A auto estima é considerada como um indicador fundamental para a saúde mental, ou seja, pessoas com baixa autoestima potencialmente apresentam uma baixa saúde mental. Entretanto, o contrário também poderá ser verdade. Com o objetivo diferente dos estudos supracitados, o estudo de Antony e Tomar (2016) objetivaram examinar o efeito de 16 semanas de treinamento Fartlek sobre a autoestima de 40 homens estudantes com idade média de 18.5±2 anos. Os indivíduos foram divididos em dois grupos, sendo eles: Grupo intervenção (n=20) e Grupo controle (n=20). O treinamento Fartlek do experimento teve duração de 45 minutos, duas vezes por semana. Após 16 semanas de intervenção ao analisar os dados pré e pós treinamento, os pesquisadores observaram que ocorreu melhora nos níveis de auto estima dos indivíduos que realizaram o treinamento Fartlek.

Diante desses poucos estudos apresentados, podemos notar que quando o indivíduo realiza sessões de treinamento aeróbio utilizando a metodologia do Fartlek, pode-se esperar melhoras na aptidão cardiorrespiratório, aprimoramentos nas valências biomotoras de velocidade e coordenação e melhoras na autoestima que está intimamente relacionada a saúde mental.

treinamento_aeróbio_fartlek_treino_em_foco

Quais os benefícios que o indivíduo obtém ao realizar sessões sistemáticas de treinamentos aeróbios?

A seguir no texto serão listadas algumas alteração que ocorrem com a pratica sistemática de sessões de treinamento aeróbio, com diferentes metodologias, entre elas o Fartlek.

– APRIMORAMENTOS NA FUNÇÃO CARDIOVASCULAR E RESPIRATÓRIA:

– Captação máxima de oxigênio aumentada como resultado de adaptações tanto centrais quanto periféricas;

– Ventilação minuto reduzida para uma determinada intensidade submáxima de treinamento absoluta;

– Consumo de oxigênio reduzido do miocárdio para uma determinada intensidade submáxima absoluta;

– Valores de frequência cardíaca e pressão arterial reduzidas para uma determinada intensidade de treino submáxima;

– Densidade capilar aumentada nos músculos estriados esqueléticos acionados durante as sessões de treinos;

– Limiar de exercícios aumentado para o acúmulo de lactato no sangue;

– Limiar do exercício aumentada para o início dos sinais ou sintomas de doença, como: angina no peito, depressão isquêmica do seguimento ST e claudicação.

REDUÇÃO DOS FATORES DE RISCO PARA DOENÇAS CORONARIANAS:

– Pressões sistólica e diastólica reduzidas em repouso;

– Níveis séricos aumentados de colesterol lipoproteína de alta densidade e redução dos triglicerídeos;

– Gordura total corporal reduzida, gordura intra-abdominal reduzida;

– Necessidade de insulina reduzida, tolerância a glicose melhorada;

– Adesividade e agregação plaquetária reduzidas.

 MORBIDADE E MORTALIDAE REDUZIDAS:

– Níveis de atividade ou aptidão mais altos estão associados com taxas de morte mais baixas por doença coronariana;

– Os níveis de atividade ou de aptidão mais altos estão associados a taxas de incidência mais baixas para as combinações de doenças cardiovasculares, doença coronariana, acidente vascular cerebral, diabetes tipo 2, fraturas osteoporóticas, câncer de colón e da mama e doença vesicular;

– Alguns estudos de metanálise tem demonstrado que a mortalidade cardiovascular e devida a todas as causas é reduzida nos pacientes pós infarto do miocárdio que participam de treinamento com exercícios de reabilitação cardíaca, especialmente como um componente da redução multifatorial dos fatores de risco;

– Por sua vez os estudos científicos que aplicam ensaios controlados e randomizados, tem demonstrado que o exercícios de reabilitação cardíaca envolvendo pacientes no pós-infarto do miocárdio, não apoiam a ocorrência de uma redução na taxa de reinfarto não fatal.

– OUTROS BENEFÍCIOS;

– Redução dos níveis de ansiedade e depressão;

– Função física e vida independente melhorada em pessoas idosas;

– Desempenho melhorado nas atividades laborais, recreativa se esportivas;

– Risco reduzido de quedas e de lesões devidas em idosos;

– Prevenção ou mitigação das limitações funcionais em adultos de meia idade e idosos;

– Terapia eficaz para muitas doenças crônicas em adultos mais velhos.

benefícios_fartlek_treino_em_foco_treinamento

Seguidores, não percam a vídeo aula de hoje e conheçam as características do treinamento Fartlek.

Referências:

ANTONY, Varghese C.; TOMAR, Rakesh. Effect of Sixteen Weeks of Fartlek Training on Self-Esteem of Saudi University Students. Indian Journal of Science and Technology, v. 8, n. 1, 2016.

BABU, M. Sudhakar; KUMAR, P. P. Effect of continuous running fartlek and interval training on speed and coordination among male soccer players. Journal of Physical Education, v. 1, n. 1, p. 33-41, 2014.

FAHMI, B. S.; OMAR, A. H.; HAMID, Dayang Tiawa Awang. The Effects Of Fartlek Training In Improving Cardiorespiratory Fitness Among Elderly. MoHE 2014, 2014.

ELECKUVAN, M. R. Effectiveness of fartlek training on maximum oxygen consumption and resting pulse rate. International Journal of Physical Education, Fitness and Sports, v. 3, n. 1, p. 85-88, 2014.