Variação para Deltoide Posterior

Please log in or register to like posts.
Vídeo

Você executa em sua rotina de treinamento, EXERCÍCIOS ESPECÍFICOS para Deltoide Posterior?
Qual EXERCÍCIO você realiza para região posterior do Deltoide?
Você conhece a VARIAÇÃO para Deltoide Posterior, realizada no banco com Halter?
Será que essa variação é EFICIENTE para trabalhar a região posterior do Deltoide?
Analisaremos hoje um exercício que tem por OBJETIVO trabalhar dinamicamente a Deltoide Posterior, lembrando que o Deltoide é FORMADO pela região ANTERIOR, MEDIAL e POSTERIOR.
Bom SEGUIDOR para realizar o exercício, precisamos de um banco para que o praticante ESTABILIZE seu corpo , quando entrar na posição para executar o exercício, posição essa que será apoiado no banco. Precisamos ter ATENÇÃO, e solicitar que mantenha as curvaturas normais e fisiológicas da COLUNA VERTEBRAL, o individuo sustentará com seu membro superior um HALTER, que sofrerá AÇÃO GRAVITACIONAL, ou seja, a gravidade estará através do HALTER “puxando” , ombro,  braço e o antebraço para BAIXO, obviamente isso terá uma repercussão sobre a ESCÁPULA, ou seja, essa carga faz com que a escapula venha a ter um certo grau de ABDUÇÃO, então será solicitado de forma ISOMÉTRICA a musculatura de TRAPÉZIO e ROMBÓIDES para estabilizar a escápula.

O TRONCO do individuo se encontrará todo apoiado sobre o MEMBRO CONTRALATERAL, então podemos entender que essa carga gerada sobre a cintura escapular, NÃO repercutirá sobre a COLUNA VERTEBRAL, pois como já mencionado anteriormente devido ao apoio sobre o membro superior contralateral. Ainda o individuo se encontra com DUAS BASES nos membros INFERIORES, uma base de apoio com o JOELHO FLEXIONADO e apoiado sobre o banco, e a outra base de apoio, com os PÉS no solo e JOELHO em SEMIFLEXÃO.

Outra aspecto que devemos ter ATENÇÃO, no momento da execução do exercício, é com a REGIÃO CERVICAL, já que na maioria das vezes esse exercício é executado de frente para um espelho, aonde o individuo tentará visualizar sua execução e consequentemente produzirá uma HIPEREXTENSÃO cervical da coluna vertebral, isso NÃO é interessante pois gera uma TENSÃO EXCESSIVA na região cervical, então um posicionamento mantendo um ALINHAMENTO da coluna vertebral é o mais indicado, ou seja, mantendo as curvaturas de lordose cervical, cifose torácica, e lordose lombar.

Após cuidar todos os aspectos citados para a realização do exercício, agora vamos analisar o movimento. O individuo realizará uma EXTENSÃO DO OMBRO com o cotovelo ESTENDIDO, basicamente esse é o movimento realizado para trabalhar a região de Deltoide Posterior. Um estratégia que podemos realizar para verificar o trabalho do Deltoide Posterior no exercício, é através da ANATOMIA PALPATÓRIA. Quando o individuo se encontra com o membro superior totalmente VERTICALIZADO, realizando a anatomia palpatória NOTAREMOS que a região do Deltoide Posterior, se encontrará totalmente sem TENSÃO, ou seja, em PONTO DE DESCANSO. Quando começa a fazer a extensão do ombro, ou seja, na FASE CONCÊNTRICA do exercício, realizando a TÉCNICA de anatomia palpatória, começaremos a notar que a região do Deltoide Posterior terá um AUMENTO DA TENSÃO, lembrando que se durante a FASE EXCÊNTRICA o individuo verticalizar o membro superior, ele entrará em ponto de descanso.
O que é ponto de descanso?
É um ponto tal, que o TORQUE na musculatura alvo se torna quase ZERO, ou zero.

Então podemos notar através da anatomia palpatória, que durante a execução do exercício, há um FORTE TRABALHO de Deltoide Posterior, e também do Tríceps Braquial.
Opa TRÍCEPS BRAQUIAL?
Sim, o TRÍCEPS Braquial  terá que trabalhar para MANTER a posição do COTOVELO em extensão, porque nessa posição a tendência gravitacional quando o individuo estende o ombro como o HALTER está sendo seguro na MÃO, é FLEXIONAR O COTOVELO, quando se “trava” glenoumeral, ou seja, quando o individuo começa a executar a fase CONCÊNTRICA a extensão do ombro, a TENDÊNCIA gravitacional é flexionar o cotovelo, então o TRÍCEPS BRAQUIAL entra em ação ISOMÉTRICA para manter a extensão do cotovelo.

Então a ideia de TREINAMENTO é estender o ombro até a linha horizontal, fazendo com que Deltoide Posterior atue, lembrando ainda que LATÍSSIMO DO DORSO também participa, porque é um EXTENSOR DO OMBRO, e o TRÍCEPS BRAQUIAL de forma isométrica,  para manter a extensão do cotovelo.
Podemos trabalhar esse exercício com o COTOVELO FLEXIONADO, e com o cotovelo ESTENDIDO, a diferença entre os dois é o BRAÇO DE ALAVANCA da resistência, que com o cotovelo flexionado É MENOR, ou seja, teremos que usar uma quilagem bem maior para ter a mesma solicitação, enquanto que com o cotovelo ESTENDIDO, colocamos no trabalho o Tríceps Braquial de forma isométrica e AUMENTAMOS o braço de alavanca da resistência para o trabalho de Deltoide Posterior.
Qual o melhor utilizar?
Depende qual o TRABALHO que você quer fazer.

Então SEGUIDOR do Treino Em Foco, não perca o Análise De Exercício de hoje, e tire as DÚVIDAS de como treinar deltoide posterior.

One comment on “Variação para Deltoide Posterior

  1. Muito interessante o contedo. Mas minha reclamao so essas dores. Quando tive uma crise de lombalgia, o mdico me indicou desse colcho magntico . Algum daqui j usou? Parece que diminui at insonia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *