Hipocifose torácica é um desvio postural que leva a redução ou minimização da curvatura natural de cifose torácica.

treino_em_foco_hipocifose_torácica_desvio_postural_biofotogrametria

O desvio postural de hipocifose torácica é uma redução da curvatura natural e fisiológica de cifose torácica. A biofotogrametria é um excelente método para o personal trainer poder avaliar e quantificar se o indivíduo apresenta e, se apresenta qual a intensidade do desvio postural de hipocifose torácica. Esse desvio postural na maioria das vezes ocorre em virtude de um encurtamento dos músculos que produzem a adução escapular, ou seja, um encurtamento de trapézio (principalmente na sua região medial), romboides maior e romboides menor. Com esse encurtamento ocorre a produção de uma adução escapular com concomitante projeção posterior dos ombros. Porém, na maioria dos casos de hipocifose torácica a musculatura da região anterior do tronco, peitoral maior e menor, deltoide anterior e coracobraquial encontram-se hipotônicas.

Diante desse cenário, para reduzir o desvio postural de hipocifose torácica é necessário realizar com esse indivíduo (caso o surgimento da hipocifose torácica seja devido a fatores musculares) um trabalho de alongamento/flexionamento para musculatura potencialmente encurtada (trapézio, romboides maior e menor) e um trabalho de fortalecimento para  a musculatura potencialmente hipotônica ( peitoral maior e menor, deltoide anterior e coracobraquial).

No programa de hoje da série Desvios Posturais apresentaremos o que é o desvio Postural de hipocifose torácica e como é identificada através da biofotogrametria.

O que é hipocifose torácica?

O desvio Postural de hipocifose torácica é uma redução da curvatura de cifose torácica da coluna vertebral. Ou seja, em um indivíduo com um posicionamento normal da curvatura de cifose torácica é possível notar uma leve curvatura com convexidade posterior e concavidade anterior. Já em um indivíduo que apresenta o desvio postural de hipocifose torácica ocorrerá uma redução dessa curvatura normal e fisiológica que caracteriza a cifose torácica, ou seja, uma redução da convexidade posterior e concavidade anterior. Dessa forma, ocorre uma redução e retificação da curvatura de cifose torácica e com isso caracterizando a hipocifose torácica.

hipocifose_torácica_treino_em_foco_desvios_posturais_biofotogrametria

Por que ocorre o desvio postural de hipocifose torácica?

O desvio postural de hipocifose torácica poderá ocorrer devido a manutenção de posturas inadequadas por exemplo no posto de trabalho. Outro fator que pode levar ao desenvolvimento de hipocifose torácica é a realização de sessões de Treinamento Resistido com Pesos (TRP) ou musculação que produzam desequilíbrio muscular entre as musculatura anteriores e posteriores da região do tórax.

Alguns indivíduos apresentam o desvio postural de hipocifose torácica devido a ocorrência de encurtamento da musculatura póstero-superior do tórax. Gerando uma adução escapular e com isso possivelmente uma projeção posterior dos ombros, ou seja, uma posteriorizaçao dos ombros. Esses músculos potencialmente encurtados são: trapézio medial, romboide maior e romboide menor todos produzem o movimento a adução escapular. Porém, na maioria dos casos de hipocifose torácica a musculatura da região anterior do tronco, peitoral maior e menor, deltoide anterior e coracobraquial encontram-se hipotônicas.

Entretanto, alguns indivíduos podem apresentar o desvio postural de hipocifose torácica devido a fatores estruturais, ou seja, devido ao desenvolvimento ósseo e não por fatores de encurtamento muscular como citado acima.

treino_em_foco_biofotogrametria_desvios_posturais_hipocifose_torácica

Como utilizar a biofotogrametria para avaliação do desvio postural de hipocifose torácica?

O avaliador para realizar a avaliação do desvio postural de hipocifose torácica, não necessitará realizar a identificação e demarcação de processos ósseos (pontos anatômicos ou referências ósseas) com esferas demarcatórias. Ele (avaliador) necessitará apenas realizar um registro fotográfico (foto) do avaliado em vista sagital , ou seja, em uma posição lateral.

Em seguida, o avaliador deverá descarregar a foto em um software específico para avaliação postural (software que será apresentado em vídeo aulas futuras). Já com a foto dentro do software será necessário identificar e posicionar o alvo para formação dos ângulos do software exatamente no ponto aonde ocorre a inversão da curvatura de lordose cervical. Em seguida o avaliador deverá identificar e posicionar o alvo do software para formação dos ângulos exatamente no ponto aonde ocorre a inversão da curvatura de cifose torácica e, por fim identificar o ponto aonde ocorre a inversão da curvatura de lordose lombar demarcando a mesma com o alvo do software.

Na sequência serão formados seguimentos de reta entre a inflexão (inversão) da curvatura de lordose cervical até a inflexão (inversão) da curvatura de cifose torácica. E outro seguimento de reta que será formado da inflexão (inversão) da curvatura de cifose torácica, até a inflexão (inversão) as curvatura de lordose lombar.

Com esses seguimentos de reta descritos serão formados um valor angular entre os pontos demarcados exatamente sobre a região da cifose torácica. Valor esse que utilizara-se para verificar se o indivíduo apresenta ou não o desvio postural de hipocifose torácica.

Então reforçando, o avaliador deverá demarcar o ponto exato da inflexão da curvatura de lordose lombar, da curvatura de cifose torácica e de lordose lombar.

treino_em_foco_biofotogrametria_hipocifose_torácica_desvios_posturais_

A partir de qual valor angular pode-se considerar que um indivíduo apresenta o desvio postural de hipocifose torácica?

Imaginemos que um avaliador esteja analisando o posicionamento da cifose torácica de um indivíduo A e, após realizar todos os procedimento metodológicos descritos (registro fotográfico, identificação das inflexões da curvaturas no software) ele (avaliador) obtenha o valor angular de 149,5°. Diante disso pode-se considerar que o indivíduo A apresenta uma curvatura de cifose torácica normal, ou seja, está dentro de um valor angular normal.

Entretanto, o mesmo avaliador realiza a avaliação postural e análise da curvatura de cifose torácica de um indivíduo B. Também após realizar todos os procedimentos metodológicos descritos acima, obtém um valor angular de 156,6°. Dessa forma, podemos observar que o indivíduo B apresenta um valor angular (156,6°) maior que o indivíduo A (149,5°), com isso pode-se considerar que o indivíduo B apresenta uma retificação da cifose torácica, ou seja, é portador do desvio postural de hipocifose torácica.

Um ponto importante a salientar é que na biofotogrametria para avaliação do desvio postural de hipocifose torácica, quanto maior o valor angular obtido maior será retificação da cifose torácica, ou seja, mais acentuado será o desvio postural de hipocifose torácica.

Relembrando que os pontos de corte para definição dos desvios posturais serão apresentados no final da série.

treino_em_foco_biofotogrametria_desvios_posturais_hipocifose_torácica

Qual a vantagem que o personal trainer terá ao utilizar a biofotogrametria para avaliação do desvio postural de hipocifose torácica?

Como apresentado em programas anteriores umas das grandes vantagens em utilizar o método biofotogramétrico para avaliação postural é o seu baixo custo e principalmente a quantificação em valores angulares dos desvios posturais. Para o desvio postural de hipocifose torácica não é diferente, como descrito acima no texto o personal trainer poderá através da formação de seguimentos de reta produzir valores angulares, podendo quantificar e identificar se o seu cliente apresenta ou não o desvios postural de hipocifose torácica.

Caso seu cliente ou seus clientes apresentem o desvio postural de hipocifose torácica, ele (personal trainer ) poderá identificar a intensidade e magnitude desse desvio postural. Dessa forma, essa informação será de suma importância para que o personal trainer consiga prescrever adequadamente a carga de esforço do treinamento (intensidade e volume) e quais exercícios corretivos serão necessários realizar para cada grau de hipocifose torácica de seus clientes . Outra vantagem ainda da utilização da biofotogrametria é que o personal trainer poderá realizar avaliações periódicas para verificar se a carga de treinamento e os exercícios corretivos estão sendo suficientes para reduzir o desvio postural de hipoficose torácica, pois o método biofotogramétrico além de baixo custo, não traz nenhum risco a saúde do avaliado.

hipocifose_torácica_desvios_posturais_treino_em_foco_biofotogrametria

Seguidor, não perca a vídeo aula de hoje e saiba como utilizar a biofotogrametria para avaliação do desvio postural de hipocifose torácica.