Qual o ponto de origem e inserção do músculo romboides?

Antes de mencionar o ponto de origem e inserção dos romboides é preciso lembrar que eles estão abaixo do trapézio medial. Portanto, a sua visualização e palpação é impossível. O romboide menor tem seu ponto de origem nos processos espinhoso de sétima vértebra cervical até a primeira vértebra torácica. Por sua vez o romboide maior tem sua origem localizada nos processo espinhosos d segunda a quinta vertebra torácica. Já os pontos de inserção estão localizados na margem medial das escápula, da raiz da espinha ao ângulo inferior da escapulas.

Treino_em_foco_romboides_anatomia_trapézio

Figura 1- Origem e inserção dos rombóides.

Quais os movimentos que os romboides realizam?

Os romboides atuam em conjunto com o trapézio, levantador da escápula e serrátil anterior para estabilizar a escapula sobre a caixa torácica durante os movimentos de carga. Existe uma nítida relação antagonista entre os romboides e o serrátil anterior, já que ambos estão fixados na margem medial da escápula e suas fibras se estendem em direções opostas. Um ponto importante, é que a contração desses dois músculos potentes ajuda a estabilizar a escapular sobre a caixa torácica.

Os romboides, levantador da escapula e o serrátil anterior também giram a cavidade glenoide na rotação inferiores da escapula para aumentar a amplitude de movimento na articulação do ombro.

Apontado alguns pontos, em virtude de seu posicionamento de origem e inserção quando se contraem produzem o movimento de adução, elevação e rotação inferior da escapulas.

Treino_em_foco_romboides_anatomia_trapézio

Figura 2 – Movimentos produzidos.

Para treinar os romboides quais exercícios podem ser realizado no treinamento resistido com pesos?

É importante salientar é que os romboides são na grande maioria das vezes acionados durante a execução de exercícios para costas. Ou seja, muitos exercícios como por exemplo puxadas em remada, principalmente no final da fase concêntrica do movimento ocorrerá o movimento de adução. Portanto, os romboides e também o trapézio medial serão acionados durante esses exercícios.

Porém, caso o aluno/cliente queira realizar um enfoque nesses nos romboides e trapézio deverá realizar exercícios que produzam resistência contra o movimento de adução todas escápulas. Assim, existem inúmeras variações, entre elas estão os exercícios de abdução transversal do ombro na polia, com halteres e também o voador invertido. Um ponto importante a salientar é que nesses exercícios ocorrerá um trabalho também o deltoide posterior, infraespinhal, latíssimo do dorso e redondo maior.

Treino_em_foco_romboides_anatomia_trapézio

Quais os pontos de fixação (origem e inserção) do músculo trapézio?

Do ponto de vista anatômico e cinesiológico o trapézio apresentam três divisões, fibras, feixes ou porções. No texto será denominação como fibras. Assim, o músculo apresenta fibras superiores ou descendente, fibras mediais e fibras inferiores ou ascendente. Uma característica do músculos trapézio é que cada conjunto de fibras apresenta um ponto de origem e inserção especifico.

            Assim, as fibras superiores/ascendentes tem sua origem localizada na protuberância occipital externa, terço medial da linha nucal superior occipital, ligamento nucal e processo espinhosos da sétima vertebra cervical. Já seu ponto de inserção está localizado no terço lateral da clavícula (Figura 1).

Treino_em_foco_romboides_anatomia_trapézio

Figura 1- Pontos de fixação das fibras superiores do trapézio.

Por sua vez as fibras mediais/transversais tem sua origem localizada nos processos espinhosos da primeira até a quinta vertebra torácica. Sua inserção está localizada na espinha da escapula e processo acromial (Figura 2).

Treino_em_foco_romboides_anatomia_trapézio

Figura 2- Fixações das fibras mediais do trapézio.

            E por fim, as fibras inferiores/ascendentes tem sua origem localizada nos processo espinhosos da sexta até a décima segunda vertebra torácica. Já sua inserção está junto ao terço medial da espinha da escápula (Figura 3).

Treino_em_foco_romboides_anatomia_trapézio

Figura 3- Fixações das fibras inferiores.

Diante desses posicionamentos diferentes de origem e inserção, é possível projetar que cada conjunto de fibras do trapézio terá capacidade de produzir movimentos independentes.

Quais os movimentos que o trapézio como um todo e os seus conjuntos de fibras específicos realizam quando contraem de forma concêntrica?

Um primeiro ponto que deve-se ter claro em mente, é que o trapézio produzirá movimentos dinâmicos da escápula. Os livros de anatomia e cinesiologia trazem que o músculos trapézio como um todo, ou seja, quando tanto as fibras superiores, mediais e inferiores contraem ao mesmo tempo, produzirão o movimento de adução escapular, assim levando a escápula em direção a coluna vertebral (Figura 4). Entretanto, como citado anteriormente, em virtude dos diferentes pontos de fixação de origem e inserção dos conjuntos de fibras do trapézio, particularmente as fibras superiores e inferiores produziram outros movimentos além da adução.

Treino_em_foco_romboides_anatomia_trapézio

Figura 4- Movimento produzido por todas as fibras do trapézio.

Analisando primeiramente as fibras superiores pode-se notar que as mesmas apresentam as fibras em uma direção obliqua e de baixo para cima, e ainda próximo da sua origem as fibras ficam praticamente verticalizadas. Essa característica proporciona a essas fibras produzirem além da adução escapular o movimento de elevação escapular. Um ponto importante a salientar, é que para a execução desse movimento essas fibras trabalharão em sinergismo com o músculos elevador da escapula e romboides maior e menor, que apresentam um vetor pequeno de elevação escapular (Figura 5). As fibras inferiores do trapézio, que lembrando são depressoras escapulares no movimento de elevação escapular terão que estar relaxadas para permitir que esse movimento (elevação escapular) venha a ocorrer.

Treino_em_foco_romboides_anatomia_trapézio

Figura 5- Movimento produzido pelas fibras superiores.

Por sua vez, as fibras inferiores ou ascendentes em virtude dos seus pontos de fixação, analisando o sentido das fibras do ponto de inserção para a origem, apresentam-se com um sentido de cima para baixo e de fora para dentro. Assim, quando somente essas fibras do trapézio se contraírem produzirão o movimento de depressão escapular. Para esse movimento essas fibras trabalharam em sinergismo com os músculos peitoral menor e serrátil anterior (fibras mais inferiores) (Figura 6). Como citado acima em relação ao movimento de elevação escapular, nesse movimento (depressão escapular) as fibras superiores do trapézio terão que relaxar para permitir que esse movimento venha a ocorrer.

Treino_em_foco_romboides_anatomia_trapézio

Figura 6- Movimento de depressão escapular produzido pelas fibras inferiores.

Assim em resumo pode-se entender que todo o músculo trapézio (fibras superiores, mediais e inferiores) quando contraírem ao mesmo tempo produzirão movimento de adução escapular. É preciso relembrar que para produção desse movimento (adução escapular) ocorrerá o trabalho sinérgico dos músculos romboides maior e menor que estão localizados abaixo do trapézio, e que em virtude dos seus pontos de origem e inserção tem a capacidade de produzir o movimento de adução escapular e uma certa elevação, porque o sentido de suas fibras é oblíquos de baixo para cima.  Por outro lado, as fibras superiores e inferiores podem trabalhar como antagonistas, ou seja, no movimento de elevação escapular as fibras superiores serão contraídas e as fibras inferiores deverão ser relaxadas, passando assim a ocorrer um trabalho sinérgico. Já na produção do movimento de depressão escapular os papeis se invertem, isto é as fibras inferiores passam a ser agonistas (contraem em contração concêntrica) e as fibras superiores passam ser antagonistas desse movimento (relaxando para permitir que o movimento ocorra).

A seguir no texto, serão descrito quais os movimentos ou exercícios que deverão ser realizados para produzir a treinabilidade do músculos trapézio na sala de Treinamento Resistido com Pesos(TRP).

Quais os movimentos fazer quando o objetivo é treinar o músculo trapézio como um todo, somente as fibras superiores ou ainda as fibras inferiores?

Como descrito acima no texto, quando o músculo trapézio contrai-se como um todo, ele (trapézio) produzirá o movimento de adução escapular. Assim, para produzir a treinabilidade de todo o músculo trapézio é interessante que o personal trainer venha prescrever par ao seu cliente o exercício de crucifixo invertido. Nesse exercício o cliente executará na fase concêntrica um movimento de abdução horizontal ou transversal do ombro em conjunto com uma adução escapular (Figura 7). Um ponto importante para analisar, é que partindo da posição de 0° glenoumeral até 90° de abdução ocorrerá um trabalho dinâmico mais exacerbado do deltoide posterior, infraespinhal, latíssimo do dorso e redondo menor e um trabalho dinâmico de menor intensidade dos músculos trapézio e romboides, pois o movimento dinâmico das escapulas em adução não é tão exacerbado. Porém, quando o cliente atingir esses 90° ocorrerá uma inversão dos papeis, ou seja a partir de 90° para cima ocorrerá uma forte adução escapular, assim ocorrendo um trabalho dinâmico dos músculos trapézio e romboides maior e menor. Já o deltoide posterior, infraespinhal, latíssimo do dorso e redondo menor trabalharão agora de forma isométrica.

Treino_em_foco_romboides_anatomia_trapézio

Figura 7- Exercícios que aciona todas as fibras do trapézio.

Um outro exercício que poderá ser executado é a remada na máquina. Neste exercício novamente o cliente deverá produzir o movimento de abdução glenoumeral transversal ou horizontal e uma adução escapular. Novamente para isso, é necessário que o cliente venha a passar o úmero (seguimento braço) da linha do ombro, pois com isso conseguirá produzir um forte trabalho dinâmico dos músculos trapézio como um todo e dos romboides maior e menor.  Um ponto importante a salientar, nesse exercício, é que é interessante que durante a fase excêntrica do movimento o personal oriente o seu cliente realizar uma forte abdução escapular. Essa estratégia proporcionará que as fibras do trapézio e romboides maior e menor fiquem na melhor relação força comprimento e com isso aumentem a sua capacidade de conexão das cabeças da miosina aos sítios ativos de actina e com isso, venha produzir muitas pontes cruzadas o que proporcionara maior capacidade para produção e força muscular (Figura 8). Obviamente existem outras variações de exercícios para treinar o trapézio como um todo, entretanto o movimento que deverá ser gerado sempre será um adução escapular.

Treino_em_foco_romboides_anatomia_trapézio

Figura 8- Exercício de remada na máquina.

Já se o objetivo do personal trainer seja produzir um trabalho somente sobre o trapézio fibras superiores do seu cliente, ele (personal) deverá prescrever exercícios que produzam resistência contra o movimento de elevação escapular. Assim, um exercício classicamente prescrito para treinar essas fibras do trapézio é o encolhimento de ombros (Figura9). Nesta varrição o cliente deverá segurar a resistência, que advém de um halter ou barra, nas suas mãos. Essa resistência buscará produzir o movimento de depressão escapular, assim o cliente terá que buscar a produzir o movimento de elevação escapular e vencer a resistência. Neste exercício além da solicitação das fibras superiores do trapézio ocorrerá o acionamento dinâmico dos músculos elevador da escapula e romboides.

Treino_em_foco_romboides_anatomia_trapézio

Figura 9- Exercício de encolhimento de ombros.

Existem alguns personais trainers que para realizar a treinabilidade das fibras superiores do trapézio orientam o seu cliente a realizar uma elevação escapular e também uma projeção dos ombros para trás. Ao realizar essa projeção dos ombro para trás, executara-se uma adução escapular. Entretanto, caso o indivíduo esteja executando o encolhimento de ombro com halteres, é preciso lembrar que a resistência sempre estará na direção vertical e no sentido de cima para baixo. Assim, analisando esse fator biomecânico durante essa execução não ocorrerá resistência contra o movimento de adução escapular, ou seja, esse movimento de adução estará livre do espaço. Portanto, realizar essa adução escapular não irá surtir nenhum efeito sobre o trapézio, pois nesse exercício não se tem resistência contra esse movimento.

Por fim, para buscar a treinabilidade das fibras inferiores do trapézio é necessário que o personal venha a aplicar exercícios que produzam resistência, advinda de halteres, barras ou placas de pesos, contra o movimento de depressão escapular. Um exercício que é bastante utilizado para treinar essas fibras e pode ser aplicado tanto para clientes iniciantes como avançado é a realização da depressão escapular no puxador frente. Neste exercício, o cliente deverá realizar a pegada na barra, aproximadamente da largura dos ombros e em seguida sentar no banco. Na sequência, deverá manter os cotovelos estendidos e buscar realizar o movimento de depressão escapular, ou seja, buscar vencer a resistência projetando as suas escápulas para baixo, dessa forma realizando uma depressão escapular (Figura 10). Lembrando que ocorrerá um trabalho sinérgico dos músculos serrátil anterior (principalmente as fibras inferiores) e o peitoral menor.

Treino_em_foco_romboides_anatomia_trapézio

Alunos, analisem a vídeo aula e tirem suas dúvidas em relação ao Romboides e Trapézio!!!