A redistribuição do fluxo sanguíneo durante o exercício físico  para os músculos ativos será proporcional a demanda metabólica.

Durante o repouso  o fluxo sanguíneo por exemplo pensando em um débito cardíaco de 5L/mim, ou seja, 5.000ml  serão distribuídos da seguinte forma: 200 ml para o coração, 300 ml para  pele, 700 ml para o cérebro, 1.000 ml para os músculos esqueléticos, 1.350 ml para o fígado, 1.100 ml para os rins e 350 ml para outros tecidos do corpo. Entretanto, durante o exercício físico observa-se uma redistribuição do fluxo sanguíneo, de modo com que o músculos ativos recebam maior proporção do débito cardíaco.  Essa redistribuição do fluxo sanguíneo resultará da produção da vasoconstrição das arteríolas que irrigam os tecidos menos metabólicos durante o exercício, por exemplo órgãos viscerias e músculos inativos. Atrelado a esse fenômeno descrito acima, uma vasodilatação das arteríolas que nutrem os músculos ativos contribuem diretamente para essa redistribuição do fluxo sanguíneo. Esse fenômeno (redistribuição do fluxo sanguíneo) poderá ocorrer em virtude de um aumento nos músculos ativos de íons potássio, hidrogênio, aumentos nos níveis de adenosina e ácido lático, além da redução da presença de oxigênio. Outro fator que pode levar a vasodilatação e redistribuição do fluxo sanguíneo é a produção pela região íntima do vaso sanguíneo arterial do óxido nitroso. Por fim, uma reposta reflexa colinérgica simpática poderá influenciar a redistribuição do fluxo sanguíneo.

Quais os componentes do sistema cardiovascular?

O sistema cardiovascular é formado por uma conexão continua de uma bomba (coração), um circuito de distribuição (artérias e arteríolas), locais ou canais de permuta (capilares) e o circuito de coleta e de retorna de baixa pressão (vênulas e veias). Na sequência apresentaremos algumas características e funções da bomba cardíaca ou seja, do coração.

O coração tem como principal função proporcionar o impulso para o fluxo sanguíneo. Este órgão está localizado na parte centromediana da cavidade torácica e, cerca de dois terços da sua massa estão localizados a esquerda da linha média do corpo. O coração pesa em média 310 g em um homem adulto de tamanho médio e 255 g para uma mulher de tamanho também médio. O músculo do coração é o miocárdio que representa uma forma de músculo estriado semelhante ao músculo esquelético. Porém, diferentemente do músculo esquelético, as células ou fibras musculares individuais se interligam na forma de uma treliça. Dessa forma, a estimulação ou despolarização de uma única célula desencadeia o potencial de ação através de miocárdio para todas as células, com isso fazendo com que o coração funcione como uma única unidade.

Funcionalmente, pode-se visualizar o coração como duas bombas separadas. Diante disso, as camarás ocas do lado direito do coração (coroação direito) produzem duas funções primordiais sendo elas:

– Receber o sangue que retorna tanto dos membros superiores via veia cava superior e dois membros inferiores via veia cava inferior.

– bombear o sangue para os pulmões através da artéria pulmonar para que ocorra a hematose, ou seja, troca gasosa.

Por sua vez o lado esquerdo (coração esquerdo) desempenho também duas funções primordiais sendo elas:

– receber através da veia pulmonar os sangue oxigenado advindo dos pulmões.

– bombear o sangue para artéria aorta a fim de distribuir o sangue oxigenado por todo o corpo nutrindo as células e órgãos com oxigênio.

Agora será descrito sucintamente o sistema arterial.

As artérias do corpo humano tem por características serem tubos de alta pressão que distribuem o sangue rico em oxigênio, ou seja, sangue oxigenado por todo o corpo. As artérias são formadas por tecidos conjuntivo e músculos liso. Nenhuma permuta gasosa, ou seja, destruição de oxigênio para os tecidos ou órgãos ocorrem nas artérias, em virtude da espessura das paredes das mesmas. Quando o coração produz a sístole (contração) o sangue que encontrava-se dentro do ventrículo esquerdo é ejetado para dentro da artéria aorta que apresenta paredes altamente musculares porém elásticas. Em seguida o sangue ejetado acaba sendo distribuído pelo corpo através de uma rede completa de artérias e ramos arteriais menores denominados de arteríolas.

As arteríolas por sua vez apresentam paredes circulares de musculo liso que contraem ou relaxam com o objetivo de regular o fluxo sanguíneo para periferia do corpo. Ou seja, as arteríolas alteram drasticamente o seu diâmetro interno com o objeto de regular e ajustar rapidamente o fluxo sanguíneo. Essas características das arteríolas é muito importante durante o exercício pois produz um rápido desvio do sangue ou seja, auxiliando na redistribuição do fluxo sanguíneo para os músculos ativos.

As arteríolas ramificam-se e formam vasos menores e menos musculares com cerca de 10 a 20 micrômetros denominados de metarteriolas. Por sua vez esses vasos terminam em uma rede de vasos sanguíneos ainda menores denominados de capilares. A parede capilar ou dos capilares consiste em apenas uma camada de células endoteliais. Os esfíncter pré-capilar, que é caracterizado como um anel liso que circunda o vaso em sua origem controla o seu diâmetro. A constrição ou relaxamento dos esfíncteres proporcionam um importe meio local de regulação do fluxo sanguíneo dentro dos tecidos específicos, o que permitirá atender exatamente as necessidades metabólicas.

Na sequência apresentaremos um pouco do sistema venoso.

A continuidade do sistema vascular progride a medida em que os capilares lançam o sangue desoxigenado, quase por gotejamento para dentro das paredes das pequenas veias ou vênulas.  As veias menores da região inferior do corpo acabam desaguando para dentro da veia cava inferior. Esse vaso calibroso leva o sangue advindo do abdome, pelve e dos membros inferiores para o átrio direito. Por sua vez, os sangue venoso advindo da região da cabeça, pescoço, ombro, tórax e da parte da parede abdominal flui para dentro da veia cava superior. O sangue venoso advindo tanto da veia cava inferior como superior se alcançam na altura do coração, formando o sangue venoso misto que penetram no átrio direito. Na sequência o sangue do átrio direito flui para o ventrículo direito que por sua vez ejetará na sístole o sangue através da artéria pulmonar para os pulmões para realizar a troca gasosa ou hematose.

Como ocorre a distribuição ou redistribuição do fluxo sanguíneo no repouso?

O sangue flui para os tecidos do nosso corpo em nível proporcional a sua demanda metabólica. Em repouso em ambiente termoneutro , o débito cardíaca típico de 5 litros ou 5.000 ml em geral distribui-se em aproximadamente 100 ml par aos músculos , 1.350 ml para o fígado, 1.100 ml par aos rins 200 ml para o coração, 300 ml para a pele, 700 ml para o cérebro e 350 ml para outras partes do nosso corpo.

Como ocorre e quais os fatores que possivelmente influenciam a redistribuição do fluxo sanguíneo durante o exercício físico?

Durante o exercício ocorre no corpo humano uma redistribuição do fluxo sanguíneo de modo com que os músculos ativos receberão a maior proporção do débito cardíaco. Por exemplo durante um exercício máximo, os músculos ativos poderão receber de 85% a 90% do fluxo sanguíneo total. Isso significará por exemplo com um débito cardíaco de 25 L/mim , mais de 22 L/mim de sangue vão para os músculos ativos.

A redistribuição do fluxo sanguíneo durante o exercício seja ele de corrida ou por exemplo natação está atrelada a uma vasoconstrição das arteríolas mais calibrosas que irrigam os tecidos metabolicamente menos ativos durante o exercício como os órgãos viscerais e os músculos esqueléticos não ativos. Esse fenômeno também está atrelado a uma vasodilatação das arteríolas especificamente terminais ou metarteriolas que irrigam os músculos esqueléticos metabolicamente mais ativos.

A vasoconstrição nos tecidos inativos em geral começa a desempenhar um papel importante com frequência cardíacas acima de 100 bpm, em virtude principalmente do aumento tanto no influxo neural (simpático)para os músculos lisos  das arteríolas quanto nos maiores níveis plasmáticos de noradrenalina.

Por sua vez a vasodilatação nas arteríolas e metarteriolas  podem ocorrer em virtude de:

– efeito local causado por um aumento na temperatura, no CO2, nos íons potássio, , íons hidrogênio e nos níveis de adenosina e de ácido lático, assim como redução de oxigênio quando exercício  progride.

– liberação de substancias vasodilatadoras denominadas fatores relaxantes de derivação endotelial, como o óxido nitroso pela camada lisa mais interna de um vaso arterial chamado  íntima.

– reposta reflexa colinérgica simpática inicial sobre as arteríolas dos músculos ativos que ocorrem antes e no início do exercício.

 Seguidores, não percam o vídeo de hoje e saibam como ocorre a redistribuição do fluxo sanguíneo durante o exercício físico.