Carga de treinamento é o aspecto metodológico mais importante para gerar respostas desejadas através de um programa de exercícios físicos. A carga de treinamento definirá o tipo de resposta (aguda) ou adaptação (crônica) fisiológica irá ocorrer quando um indivíduo submete-se a treinamento físico.

       Resposta acontece de forma aguda, isto é, são modificações em variáveis fisiológicas que ocorrem durante o período de treinamento como elevação da Frequência Cardíaca (FC), hiperventilação, sudorese, modificações pressóricas, entre outras. E ao cessar o estresse físico (carga) estas variáveis fisiológicas voltam aos seus valores de repouso ou próximo deles. Por exemplo: “a FC de repouso de um indivíduo é de 63 bpm, ao iniciar uma corrida na esteira a 8,0 km/h com inclinação de 2% sua FC sobe para 148 bpm. Trinta minutos depois o indivíduo encerra sua corrida e em aproximadamente três a cinco minutos sua FC estará próxima dos 63 bpm novamente”. Neste caso a FC respondeu ao esforço físico de forma aguda, por isso é uma resposta fisiológica.

       Já quando falamos em adaptação esta conceitua processos fisiológicos que ocorrem ao longo de um período de treinamento, necessitando, portanto, de certo tempo de intervenção do exercício físico para que possa ocorrer. Por exemplo: “Um indivíduo é magro e deseja melhorar seu visual corpóreo, decide então realizar um treinamento de AVM (aumento de volume muscular). Após oito meses de treinamento, este indivíduo apresenta um aumento de 1,5 kg de massa muscular melhorando usa estética corporal.” Este ganho de massa muscular só foi possível através de carga de treinamento configurada para AVM e mais oito meses de sistematização de treino, portanto, adaptação fisiológica crônica ao longo do período de treinamento.

Texto produzido pelo Prof. Dr. João Moura
CREF 07870-G/SC
Professor de graduação da Furb e Univali e Pós-Graduação do IPGEX e CCA