Por que o bíceps braquial participa do movimento de flexão do ombro?

A participação do bíceps braquial na flexão do ombro, principalmente da cabeça longa ocorre em virtude de seus pontos de fixação. Ou seja, como sua origem está localizada no tubérculo supraglenoidal da escapula, o tendão desta cabeça do bíceps “cruza” frontalmente a articulação do ombro, além da articulação do cotovelo. Diante disso, é um sinergista em conjunto com o deltoide anterior (principal flexor do ombro), coracobraquial e peitoral fibras superiores (claviculares) para realizar a flexão do ombro.

Portanto, em um exercício de elevação frontal, como no caso do vídeo é possível observar a ativação do bíceps durante a execução.

Por que ocorre maior ativação do bíceps braquial durante a execução da elevação frontal com o ombro em rotação externa e menor com rotação interna?

Durante a execução da elevação lateral com o ombro em rotação interna, o bíceps braquial não terá uma forte ativação em virtude de não estar em uma posição muito favorável para produzir força. Além disso, com essa posição do ombro (rotação interna) o seguimento mão estará em uma posição pronada, e como se sabe nesta posição o bíceps braquial não tem muito poder para realizar movimento. Ainda, durante esta forma de execução a ativação do bíceps braquial ocorrerá com o objetivo de coaptar a articulação do ombro, pois a resistência terá a tendência de deslocar a cabeça do úmero da cavidade glenóide, assim, uma contração do bíceps auxilia para estabilizar e lutar contra essa tendência. Além disso, em virtude  dos pontos de origem da cabeça longa e curta do bíceps, quando se realiza uma rotação interna do úmero, esses pontos de origem se aproxima do eixo do movimento de flexão, e consequentemente o braço de momento muscular tem uma redução, o que acarretará em menor contribuição do bíceps para auxiliar na flexão do ombro. Portanto, desta forma ocorrerá na execução do exercício uma maior ativação do deltoide frontal e medial.

Treino_em_foco_ativação_eletromiográfica_elevação_frontal_biceps_braquial

Já durante a execução do o ombro em rotação externa, o deltoide anterior e também o bíceps braquial irão ser mais ofertados para a execução da elevação frontal. Ou seja, terão maior capacidade para contribuir para a flexão do ombro. Particularmente o bíceps braquial terá maior ativação em decorrência que ao realizar a rotação externa do úmero se produzirá um aumento da distância dos pontos de origem do eixo de movimento. Este cenário produzirá um maior braço de momento muscular, e com isso proporcionando ao bíceps ter maior capacidade  para participar da flexão do ombro. Assim, poderá ocorrer maior ativação de unidades motoras do bíceps braquial, e isso poderá repercutir em maior ativação eletromiográfica.

Treino_em_foco_ativação_eletromiográfica_elevação_frontal_biceps_braquial

Então, qual seria a melhor forma de executar a elevação frontal?

Entendemos, que se o objetivo seja realizar um trabalho mais focando em deltoide, seria interessante realizar a elevação frontal com uma rotação interna do úmero. Assim, como foi possível ver no vídeo ocorrerá menor ativação e assim auxilio do bíceps, sendo o trabalho mais focado sobre o deltoide. Assim, será possível produzir um estresse mecânico e metabólico mais intenso sobre o deltoideo, fatores que são importantes ao pensar em ajustes de força e hipertrofia muscular.