Análise de Exercício

Puxada alta na polia tracionar a barra na frente ou atrás cabeça

Please log in or register to do it.

A puxada alta na polia é um dos exercícios mais executados nas salas de treinamento resistido com pesos, tanto por clientes iniciantes, intermediários e avançados.  Do ponto de vista técnico, é um exercício de fácil execução e que tem como principal objetivo trabalhar o latíssimo do dorso, que também é conhecido como grande dorsal.

Leia também: Puxada alta frontal – Quais os músculos envolvidos?

Tem diferença ao realizar a puxada alta na polia pela frente ou por trás da cabeça?

Essa ainda é uma das grandes discussões que ocorrem nas salas de treinamento resistido com pesos. Levando a ciência em consideração, Signorile et al., (2002) observaram que ao realizar a puxada alta na polia pela frente se proporcionou uma maior atividade eletromiográfica do latíssimo do dorso, ou grande dorsal em relação por exemplo a puxada alta na polia por trás da cabeça.

Diante deste conhecimento, como o objetivo deste exercício é realizar o trabalho do latíssimo do dorso, para proporcionar um maior exigência deste músculo parece ser mais interessante a execução pela frente da cabeça.  Entretanto, isto não quer dizer que não se possa realizar a puxada alta na polia tracionando a barra atrás da cabeça, entretanto, alguns problemas durante essa variação podem ocorrer.

Leia também:

Quais os “problemas” que podem ocorrer durante a execução da puxada alta na polia tracionando a barra atrás da cabeça?

Para realizar essa variação é necessário que o cliente produza uma abdução e conjunto com uma rotação externa do ombro. Ao realizar esse movimento, alguns clientes poderão apresentar algum desconforto na articulação do ombro. Além disso, é muito comum que também apresenta dificuldade para realizar a rotação externa do úmero, em virtude de uma baixa extensibilidade e elasticidade do peitoral maior e deltoide anterior.

Diante disso, se caso o cliente venha a executar o exercício mesmo assim, é muito comum observar a realização com uma os cotovelos projetados para trás e também com uma flexão cervical e torácica para permitir que a barra desça sem bater na cabeça.

Leia também: Puxada alta frontal – Quais os músculos estabilizadores?

Portanto, o cliente estará executando de forma equivocada a puxada alta na polia, e com isso aumentando a chance de ocorrência de algum incidente durante a execução.

Mas, então, qual variação de puxada alta na polia executar?

Diante do que foi apresentado no vídeo e também neste texto, entendemos que a forma mais segura e efetiva para realizar a puxada alta na polia, seja tracionando a barra pela frente da cabeça. Assim, escolher a execução pela frente parece ser a melhor estratégia.

Por fim, para potencializar ainda mais o trabalho do latíssimo, solicitar para que o cliente realize foco interno neste músculo também é uma estratégia eficiente.

Analisem a vídeo aula!!

A puxada alta na polia é um dos exercícios mais executados nas salas de treinamento resistido com pesos, tanto por clientes iniciantes, intermediários e avançados.  Do ponto de vista técnico, é um exercício de fácil execução e que tem como principal objetivo trabalhar o latíssimo do dorso, que também é conhecido como grande dorsal.

Leia também: Puxada no Graviton – Como executar

Tem diferença ao realizar a puxada alta na polia pela frente ou por trás da cabeça?

Essa ainda é uma das grandes discussões que ocorrem nas salas de treinamento resistido com pesos. Levando a ciência em consideração, Signorile et al., (2002) observaram que ao realizar a puxada alta na polia pela frente se proporcionou uma maior atividade eletromiográfica do latíssimo do dorso, ou grande dorsal em relação por exemplo a puxada alta na polia por trás da cabeça.

Diante deste conhecimento, como o objetivo deste exercício é realizar o trabalho do latíssimo do dorso, para proporcionar um maior exigência deste músculo parece ser mais interessante a execução pela frente da cabeça.  Entretanto, isto não quer dizer que não se possa realizar a puxada alta na polia tracionando a barra atrás da cabeça, entretanto, alguns problemas durante essa variação podem ocorrer.

Leia também:

Quais os “problemas” que podem ocorrer durante a execução da puxada alta na polia tracionando a barra atrás da cabeça?

Para realizar essa variação é necessário que o cliente produza uma abdução e conjunto com uma rotação externa do ombro. Ao realizar esse movimento, alguns clientes poderão apresentar algum desconforto na articulação do ombro. Além disso, é muito comum que também apresenta dificuldade para realizar a rotação externa do úmero, em virtude de uma baixa extensibilidade e elasticidade do peitoral maior e deltoide anterior.

Diante disso, se caso o cliente venha a executar o exercício mesmo assim, é muito comum observar a realização com uma os cotovelos projetados para trás e também com uma flexão cervical e torácica para permitir que a barra desça sem bater na cabeça.

Leia também:

Portanto, o cliente estará executando de forma equivocada a puxada alta na polia, e com isso aumentando a chance de ocorrência de algum incidente durante a execução.

Mas, então, qual variação de puxada alta na polia executar?

Diante do que foi apresentado no vídeo e também neste texto, entendemos que a forma mais segura e efetiva para realizar a puxada alta na polia, seja tracionando a barra pela frente da cabeça. Assim, escolher a execução pela frente parece ser a melhor estratégia.

Por fim, para potencializar ainda mais o trabalho do latíssimo, solicitar para que o cliente realize foco interno neste músculo também é uma estratégia eficiente.

Analisem a vídeo aula!!

Como fazer mergulho na paralela?
Avaliação antropométrica totalmente sem critério

O seu endereço de e-mail não será publicado.