Related Articles

15 Comments

  1. 7

    ronaldo oliveira da conceiçao

    excelente professor!!! bem detalhado e muito bem explicado, obrigado!!

    Reply
    1. 7.1

      João Moura

      Em nome do TEF eu agradeço ao elogio e reintero que o trabalho é de toda a equipe TEF. Muito obrigado e um abraço.

      Reply
  2. 6

    Marcus

    Olá professor adorei o vídeo, bem explicativo só acho que faltou o senhor comentar sobre os intervalos entre séries tanto visando hipertrofia, rml, potência e força. Desde já agradeço a atenção!!!

    Reply
  3. 5

    Marcus

    Olá professor adorei o vídeo, bem explicativo só acho que faltou o senhor comentar sobre os intervalos entre séries tanto visando hipertrofia, rml, potência e força. Desde já agradeço a atenção!!!

    Reply
  4. 4

    Gabriel

    O que pude entender nessa matéria é que , por exemplo ,para um trabalho de hipertrofia eu não posso usar uma quilagem muito baixa
    e nem muito alta, e sim uma quilagem que me permita fazer 12 a 8 rms e que chegue a falha na 12º ou na 8º repetição.Esta correto meu entender prof João?

    Reply
    1. 4.1

      João Moura

      Exatamente isso Gabriel. abraço.

      Reply
  5. 3

    sandro donat

    Olá professor João Moura, também gostaria de saber sobre o intervalo de tempo entre as séries de exercícios e que falasse tbm sobre a técnica FST7.

    ABRAÇO!

    Reply
    1. 3.1

      Ricardo de Amorim

      Olá Sandro. Recentemente abordamos sobre o método de treinamento FST7 em um dos cursos do Treino em FOCO – “Módulos 3 Sistemas de Treino”.

      Acesse o link da nossa loja integrada: http://treinoemfoco.lojaintegrada.com.br/

      Reply
  6. 2

    luiz fernando gimenes

    então a gente ve muita matéria relecionada a exercícios compostos para ganho de massa muscular,,,porem com isoladores o foco no musculo alvo é maior….penso eu causando assim um maior dano de micro lesão no musculo alvo,,,eu mesmo conheço pessoas com dificuldade de ganhos em volume no peitoral que adotaram um esquema de treino onde se faz apenas isoladores por exemplo…
    crucifixo reto 3×8 a 12
    crucifixo inclinado 3 x8 a 12
    cross over 3 x 8 a 12
    e obeteram melhores resultados doque realizando os compóstos como supino
    ate onde essa coisa de que exercícios compostos são melhores pra hipertrofia doque isoladores é verdade ????

    Reply
    1. 2.1

      João Moura

      Olá Luiz Fernando,

      Olha em termos de catabolismo proteico como meta da sessão de treinamento exercícios compostas ou isoladores podem ter o mesmo efeito hipertrófico, obviamente um de cunho geral e outro de cunho específico a um determinado grupo muscular. Concordo com tua linha de raciocínio e vejo que em alguns caso, como os que tu comentaste, exercícios isolados são mais adequados que os compostos.

      No fundo o que vale é o grau de microlesão provocado sobre as miofibrilas musculares, independentemente de ser exercício composto ou isolados.

      abraço

      Reply
  7. 1

    luiz fernando gimenes

    professor sugiro uma manteria a respeito de exercícios compostos x isoladores com o objetivo0 de hipertrofia e qual a verdadeira importância dos dois pois vejo que essa é uma grande duvida de muito pela net…..conheço pessoas por exemplo que tentarão treinos apenas de isoladores pra peitoral por exemplo e conseguirão resultados com treinos focados em básicos quando quase todos os textos indicam os mesmo para melhores resultados na hipertrofia
    desde já grato e parabéns pelo ótimo trabalho

    Reply
    1. 1.1

      luiz fernando gimenes

      quis dizer que conseguirão mais resultados com treinos isolados doque os básicos axo que ficou meio confuso meu comentário rsrsrs

      Reply
      1. 1.1.1

        João Moura

        Luiz, ficou meio confuso mesmo. Poderia fazer a pergunta novamente por favor?

        Abraço.

        Reply

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *