Como é executado o exercício de Plate Chest Press?

Nos últimos anos pode-se visualizar nas academias de ginasticas muitos alunos/clientes mais avançados no treinamento executando o exercício denominado de Plate Chest Press. Este caracteriza-se como um exercício de auto resistência, ou seja, onde o aluno/cliente realizar força de um membro superior contra o outro. Assim, ao realizar essa força de uma membro sobre o outro se estará tentando produzir o movimento de adução transversal do ombro. Diante disso, ocorre acionamento do peitoral maior e deltoide anterior.

Além disso, existem alguns alunos/clientes que realizam este exercício de força dinâmica. Diante disso, também ocorrerá movimento de flexão e extensão dos cotovelos. Como a gravidade é quem auxilia para produzir a flexão do cotovelo, parece não ocorrer um acionamento significativo dos flexores do cotovelo. No entanto, para realizar a fase concêntrica, isto é extensão do cotovelo ocorrerá o acionamento do tríceps braquial, tende em vista que este movimento é contra a gravidade.

Entretanto, existem alguns alunos/clientes que executam este exercício com uma anilha entre as mãos. Assim, ao realizar o exercício de forma dinâmica ou isométrica exercem uma pressão de ambas as mãos contra a anilha.

TReino_em_foco_Plate_Chest_press

Diante disso, a pergunta é, será que utilizar uma anilha de 10 kg pode alterar a ativação muscular?

Pois bem, realizamos esta comparação nesta vídeo aula, e identificamos que: o peitoral maior teve uma ativação similar com as duas técnicas no Plate Chest Press: 1 repetição: Com anilha 50% vs sem anilha 44% CIVM; 2 repetição: Com anilha 57% vs sem anilha 56% CIVM; 3 repetição: Com anilha 60% vs sem anilha 58% CIVM.

TReino_em_foco_Plate_Chest_press

Por sua vez, o deltoide anterior notou-se uma tendência a maior ativação durante a execução do Plate Chest Press com anilha: 1 repetição: Com anilha 47% vs sem anilha 31% CIVM; 2 repetição: Com anilha 47% vs sem anilha 36% CIVM; 3 repetição: Com anilha 52% vs sem anilha 36% CIVM.

TReino_em_foco_Plate_Chest_press

Por fim, o tríceps também mostrou uma tendência a maior ativação durante a execução com anilha. Neste músculo somente foi possível coletar a segunda e terceira repetição: 2 repetição: Com anilha 44% vs sem anilha 29% CIVM; 3 repetição: Com anilha 53% vs sem anilha 32% CIVM.

TReino_em_foco_Plate_Chest_press

Quais as aplicações práticas deste experimento eletromiográfico?

Como o exercício tem como principal objetivo trabalhar o peitoral maior, adicionar uma anilha de 10 kg para o trabalho parece não produzir efeito adicional para ativação do peitoral maior para as três repetições executadas. Portanto, pode ser que para o trabalho do peitoral maior adicionar uma anilhar pode não potencializar o trabalho deste grupo.

Já se o objetivo seja também produzir um trabalho maior sobre deltoide e tríceps braquial, talvez aplicar uma anilha de 10 na execução do exercício poderá elevar o estresse muscular.

Porém, não conseguimos afirmar que se realizar série até a falha ou adicionar uma quilagem maior iria alterar os resultados obtidos.

Alunos, analisem a vídeo aula!!!