Para entender quais as articulações e músculos que estão estaticamente envolvidos no exercício crucifixo invertido é necessário lembrar do primeiro passo. Assim, é preciso relembrar que o corpo do aluno/cliente sofrerá duas formas de resistência, ou seja, a resistência gravitacional que quer jogar todo o corpo para o solo e a resistência dos halteres que acelerada pela gravidade (9.81 m/s²) tendem a projetar alguns seguimentos corporais também para baixo.

Treino_em_foco_crucifixo_invertido

Quais as tendências de movimento que a resistência dos halteres produzirá no crucifixo invertido?

Como já citado acima, a resistência produzida pelo peso dos halteres estará no sentido vertical e de cima par abaixo. Ainda, esse peso será acelerada pela gravidade em uma magnitude de 9,81m/s². Portanto, podemos identificar que a resistência dos halteres tenderá a produzir um movimento de abdução das escápulas, o que projetará o ombro em direção ao solo. Porém, de fato esse movimento não vem a ocorrer. Não ocorre, porque os músculos adutores da escapula (romboides maior e menor, e trapézio principalmente as fibras mediais) irão contrair de forma isométrica para estabilizar as escápulas em neutro.

Ainda, no final da fase concêntrica, onde o aluno/cliente estará com os ombros abduzidos transversalmente a resistência dos halteres produzirá uma forte tendência a flexão dos cotovelos. Esta não ocorrerá em virtude da contração isométrica dos extensores do cotovelo (tríceps braquial e ancôneo).

Treino_em_foco_crucifixo_invertido

Quais as tendências de movimentos produzidas pela força gravitacional?

Também como já citado acima, a força gravitacional agirá sobre o aluno/cliente buscando projetar todo o seu corpo para baixo. Assim, a resistência gravitacional tenderá a produzir a movimento de flexão cervical que será evitado pela contração isométrica dos eretores da espinha nessa região. Além disso, ainda analisando a coluna vertebral tenderá a produzir o movimento de flexão toracolombar da coluna vertebral, evitado pela contração isométrica, do grupos eretores da espinha, quadrado lombar e também por multífidos, intertransversários entre outros músculos que tem o poder de realizar a extensão toracolombar.

Passando agora para a região pélvica, a força gravitacional tenderá a acentuar o movimento de flexão do quadril. Para que isso não ocorra os extensores do quadril (glúteo máximo e isquiotibiais) serão acionados em uma contração isométrica mais forte para evitar essa acentuação. Já no joelho, ocorrerá  a tendência a acentuar a flexão, que será evitada por uma contração dos extensores desta articulação (quadríceps). Por fim, a tendência para acentuação da dorsiflexão, que será evitada pela contração isométrica dos antagonistas, isto é tríceps surral (gastrocnêmico medial, lateral e sóleo).

Treino_em_foco_crucifixo_invertido

Qual a aplicação prática do conhecimento desse envolvimento muscular?

Como podemos notar no texto e vídeo ocorre um grande envolvimento muscular buscando estabilizar o corpo durante a execução. Assim, essa variação do crucifixo invertido pode ser interessante para alunos/clientes que buscam potencializar o gasto energético para contribuir com o processo de emagrecimento. Portanto, quando possível seria interessante o personal trainer escolher essa variação, principalmente em virtude do envolvimento de grupos musculares grandes.

Seguidores, analisem a vídeo aula.