Para estimar a fonte energética preponderante seria interessante o personal trainer mensurar o tempo de tensão muscular da série.

Qual a fonte de energia principal do nosso corpo?

As células contém uma pequena quantidade de adenosina trifosfato (ATP), e portanto terão que ressintetiza-la continuamente com seu ritmo de utilização. Em condições de exercício extremo os níveis de ATP no músculo esquelético sofrem uma redução. Um suprimento limitado de ATP proporciona um mecanismo biologicamente útil para regular o metabolismo energético. Ao ser mantida apenas uma pequena quantidade de ATP, sua concentração relativa (e as concentrações correspondentes de ADP, P e AMP) modificam-se rapidamente em resposta a uma redução de apenas mínima no ATP.

Qualquer aumento na demanda de energia rompe imediatamente o equilíbrio entre ATP e ADP e Pi. O desequilíbrio estimula o fracionamento de outros compostos que contem energia armazenada para ressintetizar o ATP. Dessa forma, o início do movimento a musculatura ativa rapidamente vários sistemas que irão aumentar a transferência de energia. Como já era de se esperar, o aumento na transferência de energia depende da intensidade do exercício. Ou seja, a transferência de energia aumenta cerca de quatro vezes na transição da posição sentada em uma cadeira para uma caminhada lenta. Ao passar de uma caminhada lenta para um pique explosivo, será acelerada imediatamente em cerda de 120 vezes a velocidade de transferência d energia dentro dos músculos ativos.

O corpo humano armazena cerca de 80 a 100g de ATP em qualquer momento sob condições normais de repouso. Essa quantidade orna disponível a cada segundo aproximadamente 2,4 mmol de ATP por Kg de peso de músculo úmido. Isso representa uma quantidade de energia intramuscular armazenada suficiente para acionar vários segundo de exercícios máximas intenso. Diante disso, ocorre a necessidade da rápida ressíntese de ATP. Para isso existem três processo comuns produtores de energia para a ressíntese de ATP.

Quais são as três fontes energéticas para a ressíntese de ATP durante o exercício?

Como descrito acima no texto, existem três fontes energéticas que auxiliam na ressíntese de ATP, sendo elas: 1) sistema ATP-PC, ou sistema dos fosfagênios de alta energia, no qual a energia para ressíntese de ATP provem apenas de um único composto sendo a fosfocreatina. Essa fonte energética produz uma forte liberação para produção de ATP nos primeiros 10-12 segundos de contração muscular. 2) glicólise anaeróbia, sistema que produz o ácido láctico mas que proporciona ATP a partir da degradação parcial de glicose ou do glicogênio muscular sem presença de oxigênio. Essa fonte energética libera energia de forma preponderante dos 10-12 segundos até aproximadamente dois minutos de contração muscular. 3) sistema aeróbio que envolve o uso do oxigênio e que, na verdade, possui duas partes: parte A consiste no termino da oxidação do carboidratos e aparte B envolve a oxidação dos ácidos graxos e de alguns aminoácidos. Ambas as partes do sistema aeróbio possuem o ciclo de Krebs como sua via final de oxidação. Já que alguma proteína pode ser oxidada também pelo ciclo de Krebs, este é denominado corrente a via final comum. Essa via passa a ser preponderante em contração que duram além dos dois minutos.

É importante que você estenda que todos essas três fontes energéticas liberam energia de forma continua durante a contração muscular. Entretanto, dependendo do tempo e da intensidade da contração, ou seja exercício uma fonte será preponderante em determinados momentos.

Qual o comportamento das fontes energéticas durante a execução de uma sessão de treinamento resistido com pesos ou musculação?

Como todos nós sabemos na maioria das vezes ou exercício de treinamento resistido com pesos ou musculação são realizados em intensidade acima do limiar anaeróbio. Diante disso, a manutenção da demanda energética é realizada por mecanismos não-oxidativos durante a sessão de treinamento. Portanto, neste modelo de esforço físico a utilização de adenosina trifosfato é maior do que a capacidade de produção via aeróbia. Assim, a produção de energia através do metabolismo anaeróbio, no qual o sistema fosfagênio (ATP-PC), ou dos fosfagênios de alta energia e o sistema glicolítico atuam conjuntamente, é essencial para manutenção da atividade de alta intensidade.

Diante disso, o que vai distinguir qual a fonte energética preponderante para a ressintese de ATP é o tempo de tensão muscular da série. Ou seja, em séries onde objetiva-se o desenvolvimento de força muscular, onde os alunos/clientes executam entre 1 a 6 repetições máximas, caso tempo das ações excêntrica e concêntrica sejam de 1 segundos, a fonte energética preponderante serão dos fosfagênios de alta energia, ou seja, ATP + PC. Por outro, lado em séries por exemplo onde objetiva-se produzir ajustes fisiológicos, onde executa-se repetições entre 8 a 12 repetições máximas, e caso as ações concêntricas e excêntricas sejam executadas em 1 segundos cada, o tempo de tensão muscular irão girar entre 24 segundos. Diante disso, a fonte energética preponderante será em um primeiro momento serão os fosfagênios de alta energia e depois dos 10-12 segundos a glicólise anaeróbia.

Portanto uma forma conseguir estimar qual a fonte energética que será preponderante é realizar a medida do tempo de tensão muscular da série.

Seguidores, não percam a vídeo aula de hoje e identifiquem como estimar a fonte energética através da mensuração do tempo de tensão muscular da série.