A técnica da repetição forçada tem como principal objetivo intensificar a sessão de treino.

Qual o principal erro que ocorre durante a realização da técnica de repetições forçadas?

Hoje em dia, nas salas da treinamento resistido com pesos ou musculação é comum visualizar alunos/clientes que buscam a produção de ajustes hipertróficos. Para isso, os personais trainers e também alunos/cliente que treinam sem acompanhamento exclusivo de um profissional, buscam realizar treinos mais intensos com o objetivo de gerar um estresse mecânico e metabólico significativo, pois ambos parecem ser o ponto de partida para a geração de adaptações hipertróficos.

Diante disso, é comum esses profissionais e praticantes buscarem aplicar técnicas ou sistemas de treino para produzir esse intensificação da sessão treino. Assim, uma das técnicas mais utilizadas é a das repetições forçadas. De um forma geral, o personal trainer ou companheiro de treino irá auxiliar durante a fase concêntrica do movimento no ponto de mais dificuldade, ou seja no sticking point, que na maioria das vezes é onde se gera o maior braço de alavanca da resistência. Ou seja, irá chegar um momento dentro da série em que o aluno/cliente, em virtude da fadiga acumulada, não conseguirá mais realizar a fase concêntrica do movimento, entretanto assim em falha momentânea concêntrica. Diante disso, neste momento o profissional ou o companheiro de treino irá aplicar uma força suave para proporcionar com que o aluno/cliente consiga vencer esse ponto da amplitude de movimento, e com isso finalizar a fase concêntrica do movimento.

Porém, na maioria das vezes, principalmente quando o companheiro de treino vai auxiliar o mesmo (companheiro) aplica uma força muito grande fazendo com que o aluno/cliente executante venha a perder total tensão muscular durante o exercício. Do ponto de vista metodológico, da aplicação da técnica das repetições forçadas essa dinâmica é totalmente equivocada.

Como deverá ser realizado o auxílio durante a execução das repetições forçadas?

Como já mencionado anteriormente, o auxílio durante a realização da técnica de repetições forçadas deverá ser somente para proporcionar que o aluno/cliente executante consiga vencer o sticking point durante a fase concêntrica.

De uma forma geral, o profissional ou companheiro de treino deverá deixar com que o aluno/cliente executante realize o exercício até o ponto em que chegue próximo ou na eminência de não conseguir vencer ou ultrapassar o sticking point durante a fase concêntrica. Dessa forma, ao chegar a esse momento o profissional ou companheiro deverá aplicar força somente para proporcionar que o aluno/cliente vença esse ponto da fase concêntrica. Uma vez passado esse ponto ele (profissional ou companheiro de treino) deverá retirar a aplicação da força e deixar com que o resto do movimento seja controlado pelo executante. A literatura tem demonstrado que deve-se realizar em média entre duas a quatro repetições forçadas.

Um ponto importante a salientar, é que a série deverá ser encerrado no momento em que o profissional ou companheiro que está realizando o auxílio comece a realizar muita força. Um outro critério para encerrar a série seria o ponto em que o aluno/cliente executante não consiga mais controlar a fase excêntrica do movimento, pois isso caracterizará a falha concêntrica e excêntrica dentro da série.

O que a ciência apresenta sobre a utilização da técnica de repetições forçadas?

Em teoria a literatura demonstra que a aplicação das repetições forçadas poderá aumentar o estimulo hipertróficos por aumentar a fadiga gerado sobre as unidades motoras e também gerar um estresse metabólico maior.

Por exemplo, o estudo de Ahtiainen et al. (2003) investigaram o efeito de repetições forçadas sobre a secreção aguda de hormônio do crescimento após a realização de quatro séries de 12 repetições de leg press e 2 séries de 12 repetições para o agachamento e cadeira extensora. O grupo de repetições máximas realizou todas a séries em 12 repetições máximas, enquanto o grupo de repetições forçadas usou uma quilagem maior do que repetições máximas. Os resultados indicaram que 30 minutos após o trabalho, os níveis de hormônio do crescimento força significativamente maior par ao grupo de repetições forçadas comparado com o de repetições máximas. Um ponto importante a salientar, desse estudo é que o volume de treino foi equalizado entre os grupos, assim implicando de que a elevação hormonal força atribuídos para o uso de repetições forçadas.

Diante disso, a utilização de repetições forçadas poderá produzir um maior estresse mecânico e metabólico durante uma série e isso poderá potencializar a geração de ajustes hipertróficos.

Seguidores, não percam a vídeo aula de hoje e analisem os argumentos do professor João Moura sobre a realização das repetições forçadas.