Hoje iniciamos a série Cinesiologia Vetorial, onde teremos vários programas aonde apresentaremos a aplicação de vetores, para que você possa entender melhor a questão da Cinesiologia, com a aplicação de vetores ao corpo humano, para estudar Cinesiologia e entender melhor o mecanismo contrátil dos músculos do corpo humano, é isso que veremos ao longo de vários programas da série Cinesiologia Vetorial.

 

Qual a característica de um músculo ou grupo muscular, quando se contraí?

Quando um grupo muscular ou um músculo seja ele qual for se contrai, ele irá  contrair ambos os lados da sua extremidade tendínea, ou seja, quando um músculo contrai ele aproxima as suas extremidades do centro do ventre muscular. Isso é que vai capacitar a produção de bioalavancas que irão gerar movimento corporal humano, e através de vetores entenderemos melhor essa questão da Cinesiologia.

cinesiologia_contração_ventre_muscular

O que é um Vetor, e quais suas características?

Um vetor é representado por um seta, ele tem por característica apresentar: direção, sentido, intensidade, módulo ou ainda pode-se chamar de magnitude, de uma determinada grandeza física que queiramos representar, como no caso da aplicação vetorial na  Cinesiologia representaremos a produção de força de um músculo, ou seja, a grandeza física que iremos representar em termos de intensidade, módulo ou magnitude será  grandeza física força muscular, ou de um músculo quando ele contraí.

cinesioloiga_vetor

Qual a diferença entre o vetor A o vetor B, e o vetor D?

No vetor A temos uma direção horizontal, já no vetor B representa por exemplo uma força na direção vertical. Analisando agora o sentido da força, notaremos que o sentido da força no vetor A é da esquerda para a direita, já no vetor B o sentido da força é de baixo para cima. Já o sentido do vetor D podemos perceber que o sentido é de baixo para cima e da esquerda para a direita.

Então podemos analisar que um vetor que apresenta a direção obliqua, apresenta duas características de sentido como no vetor d, que é de baixo para cima, e da esquerda para direita. Enquanto os vetores A e B, que tem a direção horizontal e vertical respectivamente, apresenta um único sentido.

cinesiologia_vetores_vetor_músculos

Qual a diferença entre o vetor B e C?

Precisamos ainda caracterizar o que venha a ser intensidade, magnitude ou módulo de um vetor na Cinesiologia. Essa caraterística dos vetores, ou seja, a intensidade, magnitude ou módulo da força desse vetor é caracterizado pelo dimensão em comprimento da seta. Então comparando a diferença entre o vetor B e C, notaremos que os dois vetores apresentam a mesma direção vertical, o mesmo sentido de baixo para cima, entretanto a intensidade do vetor B é maior que a intensidade do vetor C. Como aqui no caso da Cinesiologia Vetorial, representando trações de força, podemos identificar então que o vetor B estaria representando uma força de maior magnitude e intensidade do que o vetor C.

 

cinesiologia_vetor_vetores_aplicação

Qual a diferença da magnitude, intensidade ou módulo da força entre o vetor D e E?

Podemos identificar que esses dois vetores apresentam direção Obliqua, sentido de baixo para cima e da esquerda para a direita, entretanto o vetor D, por ter um comprimento maior que o vetor E, representa uma força aplicada maior do que o vetor E.

cinesiologia_vetor_vetores_cinesioloia _vetorial

Então essas são características vetoriais que iremos aplicar no corpo humano, para estudar a Cinesiologia.

Como aplicar os vetores ou vetor no corpo humano?

Para aplicar vetores no corpo humano é necessário seguir um passo a passo: primeiro precisamos identificar o músculos a ser analisado, o segundo passo é identificar a extremidades do músculos, o terceiro passo é identificar o ponto de origem e inserção do músculo a ser analisado, ou seja, isso nós fará entender que o ponto móvel é a sua inserção e o ponto fixo a sua origem, e o quinto ponto a ser identificado é o sentido das fibras do músculo que será analisado com a Cinesiologia vetorial.

Após realizar a identificação citadas anteriormente, partimos para projeção do vetor.  O vetor deve acompanhar a direção e o sentido das fibras, e um ponto importante é que sempre o sentido do vetor deverá ser da inserção do músculo a ser analisado para a sua origem, ou seja, do ponto móvel par ao ponto fixo acompanhando sentido e direção das fibras. Esse então são os passos de identificar e projetar os vetores, que utilizaremos em todos os programas da série de Cinesiologia vetorial.

cinesiologia_aplicação_vetores_identificação

O que influencia a força ou torque de produzido por um músculo?

Um primeiro fator que pode influenciar produção de força de um músculo é a curva de encurtamento tensão do músculo, ou seja, isso altera produção de força muscular de um músculo. Obviamente também o volume muscular influenciará na capacidade de produção e força ou torque de um músculo ou grupo muscular. Um terceiro aspecto que influencia na produção de força de músculo é o tipo de fibra muscular (tipo IIb são mais capacitadas a produzir força).

O maior recrutamento de unidades motoras e grau de sincronização das mesmas, também influencia a capacidade do indivíduo um produzir força, ou seja, esses são outros aspectos que irão melhorar o torque ou força. O Sentido das fibras musculares, ou seja, o sentido de inserção do seu tendão se ele tem caraterística paralelo ou penado, também influenciará capacidade de produção de força.  E ainda o ângulo de inserção tendínea, sobre o seguimento ósseo, esse é o aspecto que vamos analisar nessa série de Cinesiologia . Então de todos os aspectos que influenciam a produção de força ou torque, estudaremos esse último aspecto na série Cinesiologia Vetorial.

Então seguidor, não perca a vídeo aula, de hoje, aprenda o passo a passo para aplicar vetores ou vetor no corpo humano, para estudar Cinesiologia.