No vídeo de hoje, aplicaremos a Cinesiologia vetorial diretamente no corpo humano, então faremos a aplicação real de todo o instrumental que apresentamos nos vídeos um, dois e três.

Qual o melhor ângulo ou vista do boneco anatômico para analisar a ação cinesiológica vetorial do Glúteo Máximo?

A melhor imagem para realizar a análise cinesiológica vetorial do Glúteo Máximo, é a lateral. E o plano que ocorreram os movimentos em vista lateral, é o plano sagital.

vista_lateral_músculo_glúteo_máximo

Como aplicar o vetor resultante de tração do músculo Glúteo Máximo?

Você deverá primeiramente isolar o grupo muscular que será analisado, que no caso de hoje é o músculo Glúteo Máximo. Na sequência é preciso identificar as extremidades do Glúteo Máximo, ou seja, identificar sua origem e inserção, notaremos que a origem está localizada na Crista Ilíaca, e sua inserção é no trato ílelotibial, e na tuberosidade do Fêmur.

A partir dessa localização é necessário visualizar o sentido das fibras para posteriormente traçar o vetor resultante de tração. Porém antes de traçar o vetor resultante, você deverá traçar uma linha pontilhada que representará o eixo longitudinal da peça óssea que se move, que no caso de hoje é o osso Fêmur.

Agora seguindo o passo a passo que apresentamos desde o primeiro vídeo da série Cinesiologia Vetorial, poderemos projetar o vetor resultante de tração do Glúteo Máximo, que lembrando deverá seguir a direção e o sentido das fibras que se encontram próximas a inserção do músculo Glúteo Máximo.

vetor_resultante_lateral_glúteo_máximo

O vetor resultante de tração deverá ser posicionado da parte móvel para a parte fixa, ou seja, da inserção para a origem do Glúteo Máximo. A parte móvel será representada pelo Fêmur que se movimentará quando o Glúteo Máximo se contrair, e a parte fixa a região do Ilíaco. Então o vetor resultante de tração do Glúteo Máximo, se encontra na direção obliqua, no sentido de baixo para cima, e da esquerda para a direita.

Você notará no vídeo que o vetor resultante de tração do Glúteo Máximo, foi posicionado nas suas fibras inferiores.

Como realizar a decomposição vetorial, do vetor resultante de tração do Glúteo Máximo? E quais os movimentos que o Glúteo Máximo produz?

 

Para realizar a decomposição vetorial do vetor resultante de tração do Glúteo Máximo, um componente vetorial deverá ser posicionado paralelo ao eixo longitudinal da peça óssea que se move. Enquanto o outro componente vetorial do vetor resultante, deverá ser posicionado perpendicularmente ao eixo longitudinal a peça óssea que se move.

O componente vetorial paralelo ao eixo longitudinal, é a força que empurra o Fêmur para cima, e de encontro ao acetábulo do Quadril. Então parte da força produzida pelo Glúteo Máximo, tende a impulsionar o Fêmur contra ao acetábulo do Quadril, produzindo uma força de coaptação da Articulação do Quadril.

Já o componente vetorial que está perpendicular ao eixo longitudinal da peça óssea que se move, o Fêmur, impulsionará o fêmur para trás, então podemos entender que esse vetor que está perpendicular ao eixo longitudinal efetivamente produzirá o movimento corporal. Levando em consideração que o eixo se encontra no centro da articulação do Quadril, e o Fêmur está fixo no acetábulo do Quadril, a força do componente vetorial perpendicular, tende a rodar o fêmur para trás, produzindo o movimento de extensão do Quadril, ou seja, uma força rotatória para trás em cima do eixo laterolateral, produzindo então o movimento de extensão do quadril, lembrando que esse movimento ocorre no plano sagital.

decomposição_glúteo_máximo_lateral

O componente vetorial paralelo ao eixo longitudinal do Fêmur, que na análise lateral do Glúteo Máximo, produz uma força de coaptação da Articulação do Quadril, tem uma magnitude de força maior que o componente vetorial perpendicular, que produz torque e a movimentação de extensão do Quadril. Então quando o Glúteo Máximo contrai dinamicamente, produz uma força de coaptação e estabilização da articulação do Quadril, e produz uma força torque de extensão do Quadril, essas características na vista lateral, e no plano sagital.

Como traçar o vetor resultante do Glúteo Máximo, numa vista posterior?

Os movimentos que poderemos identificar do Glúteo Máximo numa vista posterior, ocorreram no plano frontal ou coronal, ou seja, movimentos em que o Fêmur deslocará nos sentido lateral, e não mais nos sentido anteroposterior.

Você deverá novamente traçar uma linha pontilhada que representará o eixo longitudinal da peça óssea que se move, ou seja, deverá traçar uma linha pontilhada longitudinalmente sobre o osso Fêmur.  Na sequência identificando as extremidades do Glúteo Máximo, ou seja, identificar a inserção e a origem, e traçar o vetor resultante de tração do Glúteo Máximo na vista posterior, seguindo a direção e os sentido das fibras da parte inferior, e da parte móvel par a parte fixa do músculo Glúteo Máximo.

Agora podemos realizar a decomposição vetorial do vetor resultante do Glúteo Máximo na vista posterior, e com isso conseguir identificar os movimentos produzidos pelo Glúteo Máximo na vista posterior e no plano frontal.

posterior_glúteo_máximo_vetor

Com traçar os componentes vetoriais do vetor resultante de Glúteo Máximo? E quais os movimentos produzidos pelo Glúteo Máximo na vista posterior?

Um componente vetorial deverá estar posicionado paralelamente ao eixo longitudinal do Fêmur, e o outro componente vetorial deverá estar perpendicular ao eixo longitudinal do Fêmur.

O componente vetorial paralelo ao seguimento ósseo impulsionará o fêmur para cima, consequentemente a cabeça hemisférica do Fêmur, será impulsionada contra o acetábulo do Quadril, produzindo uma força de coaptação. Já o componente vetorial perpendicular que efetivamente produz o movimento, impulsionará o Fêmur do ponto mais lateral para um ponto medial. Só que o Fêmur não irá se aproximar da linha medial do corpo, porque ele está fixo a articulação do Quadril.

Então o Fêmur nessas condições produzirá um movimento rotatório curvilínea para a região medial do corpo, que será produzido componente vetorial perpendicular da ação muscular do Glúteo Máximo. Podemos entender que as fibras inferiores do Glúteo Máximo participam da Adução do Quadril, ou seja, nessa imagem posterior, aonde o movimento é possível no plano frontal ou coronal, o Glúteo Máximo tem o poder de estabilizar a articulação do Quadril, e Aduzir o Quadril.

decomposição_vetorial_posterior_Glúteo _Máximo

Você perceberá que o componente vetorial perpendicular, que produz o movimento de Adução do Quadril, tem uma magnitude maior, que a magnitude do componente vetorial paralelo ao eixo longitudinal que produz a estabilização da articulação do Quadril.

Então seguidor não perca a vídeo aula de hoje, e tire todas as suas dúvidas sobre o Glúteo Máximo.