Qual um erro comum que ocorre durante a realização da mensuração da espessura das dobras cutâneas?

Durante a realização da mensuração na espessura das dobras cutâneas é comum avaliadores tanto iniciantes quando experientes no momento de realizar a leitura dos relógios perderem a perpendicularidade do adipômetro. Ou seja, ele (avaliador) demarca o ponto da dobra, pinça/destaca um centímetro acima da demarcação e em seguida coloca as hastes do adipômetro de forma correta sobre a intersecção dos pontos. Porém, no momento de realizar a leitura dos relógios (quando utilizado o adipômetro científico), deixa perder a perpendicularidade do mesmo.

Diante desse cenário descrito acima, ocorrerá um erro de medida, pois ao perder a perpendicularidade do adipômetro estar-se produzindo um erro na obtenção dos valores de medida. Assim, mesmo realizando todos os procedimento anteriormente corretamente e posteriormente selecionando a equação mais apropriada para aquele aluno/cliente estar-se produzindo um erro de medida. Portanto, obtendo um valor de % de gordura equivocado.

Então qual a forma correta de realizar a medida da espessura da dobra cutânea?

Para evitar um viés de medida durante a obtenção dos valores de espessura de dobra cutânea e assim se consiga estimar de forma mais acurada o % de gordura corporal, é necessário realizar de forma adequada a demarcação, pinçamento/destacamento da dobra, colocação do adipômetro e manter a perpendicularidade em relação ao seguimento braço.

Assim, cuidando todos esses detalhes, pode-se ter uma estimativa mais acurada do % de gordura corporal, % de massa magra entre outros componentes da composição corporal.

Seguidores, não percam a vídeo aula de hoje.