Alguns alunos/clientes finalizam uma series no exercício Stiff em virtude de dor nos antebraços e não por fadiga dos músculos motores primários (isquiotibiais e glúteo máximo).

Quais motivos podem estar levando ao aluno/cliente sentir dor nos antebraços quando executa o exercício de Stiff?

É comum durante a execução do exercício de Stiff, principalmente as mulheres venham a sentir um certo desconforto ou até mesmo dor nos antebraços. Muitas vezes, esse cenário levará ao encerramento da série por essa dor e não por uma fadiga nos músculos motores primários do movimento, isquiotibiais e glúteo máxima. Dessa forma, provavelmente os músculos motores primário passaram a ser subtreinados.

Caso o aluno/cliente estiver executando o exercício com uma pegada supinada (palma das mãos para cima), a barra sobre a ação gravitacional tenderá a estender o seguimento mão e também os dedos. Com isso, ocorrerá a necessidade de uma contração isométrica dos músculos flexores metacarpo falangeanos, Inter falangeanos e do punho buscando sustentar a barra na mãos. Da mesma forma, caso o aluno/cliente venha a executar o exercício com a pegada pronada, ou seja a palma da mão para trás, também ocorrerá a tendência gravitacional de extensão dos músculos, e com isso ocorrerá a necessidade de uma contração isométrica dos mesmos músculos citados acima. Um ponto importante a salientar, é que quanto maior for a quilagem (peso) imposta no exercício maior será a necessidade de produção de contração isométrica desses músculos citados acima.

Diante do citado acima, em virtude de uma menor ventre muscular e potencial fraqueza por partes dos flexores metacarpo falangeanos, Inter falangeanos e do punho, provavelmente os mesmos entraram em uma fadiga prematura o que impossibilitará o prolongamento da série.

Qual a estratégia que o personal trainer poderá utilizar para um aluno/cliente que está sentindo forte dor nos antebraços durante a execução do Stiff?

De uma forma imediata, o Treino em Foco entende que o personal trainer poderá realizar uma alteração na forma da pegada na barra. Ou seja, poderá orientar ao seu cliente posicionar uma das mãos na posição supina e a outra na posição pronada.

Ao realizar essa estratégia, é importante entender que a barra ainda sobre a ação gravitacional tenderá a rodar par abaixo e realizar o movimento de extensão. Entretanto, na mão que está em posição supina a barra tenderá a rodar no sentido horário e na outra mão que está na posição pronada tenderá a girar no sentido anti-horário. Esse cenário descrito, produzirá um efeito contra-rosca, ou seja, em um lado a barra tenderá a rodar para um lado e do outro lado para o lado oposta. Essa característica produzirá um efeito de equilíbrio sobre a barra. Diante disso, acontecerá uma redução na intensidade de esforço sobre os músculos flexores metacarpo falangeanos, Inter falangeanos e do punho.

Qual a estratégia que o personal trainer deverá utilizar a longo prazo visando minimizar a fraqueza e a geração de dor nos antebraçso durante a execução do Stiff?

A longo prazo, seria interessante que o personal trainer viesse a introduzir no planejamento de treino do aluno/cliente exercício específicos para os músculos flexores metacarpo falangeanos, Inter falangeanos e do punho. Importante salientar que as cargas d esforço deverão ser aplicadas buscando aumentar os níveis de força e também de hipertrofia desses músculos, para proporcionar ao aluno/cliente maior capacidade em realizar a “pegada” nos exercícios por exemplo de Stiff e levantamento terra.

Seguidores, não percam a vídeo aula de hoje e verifiquem as explicações do professor Joao Moura sobre a “pegada” durante a execução do exercício de Stiff.