Texto do nosso seguidor qualificado HEILER ROCHA.
Leiam e OPINEM a respeito.
_______________________________________________________________
#FOCOnotreinoemFOCO
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
EDUCADOR FÍSICO X PROFISSIONAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA
Bom, à aproximadamente um ano sou acadêmico de Ed. Física, me recordo como ontem às palavras de um professor que também é coordenador do curso, quando questionado sobre o uso do termo educador físico.
“Eu não sei quando e nem como surgiu, mas eu entendo que o termo, “educador físico” venha ser alguém que educa o corpo. Valorize-se, não deixem que falem que você é um educador físico, corrija a pessoa se necessário, mas, diga que você é um professor de educação física”.
Como isso ocorreu nos primeiros dias de aula, meu entendimento sobre esse esclarecimento ficou vago, não compreendi tais palavras. O fato é, de alguns meses para cá, reparei na familiarização do termo “educador físico” para referir-se a um profissional de Educação Física que dedica e, ou, dedicará seu tempo para a área Fitness.
Mas afinal de contas, quando surgiu esse termo? Convivo na área Fitness desde os meus quatorze anos, frequentando academias e nunca ouvi falar desse tal “educador físico”.
Com a progressão no semestre, comecei a entender da historia e a evolução da Educação Física, as batalhas e os problemas que o curso enfrentou durante os anos. A partir disso, aquelas palavras que ouvi no começo do semestre, realmente, começaram a fazer todo o sentido.
Hoje em dia se me pararem na rua e questionarem:
“– O que é um professor de educação física para você?”
“O professor de educação física é aquele que dedica a sua vida a entender as pessoas de uma maneira completa em três aspectos, físico, cognitivo e psíquico.
O profissional de educação física, sabe avaliar cada aluno de uma maneira diferente e procura entender como cada aluno seu reage mediante as adversidades, entende que existem pessoas com diferentes necessidades e diferentes aspectos em meio a uma multidão, são essas características que fazem a diferença em meio aos outros profissionais.”
Mas veja bem, esse é meu entendimento depois de conhecer a historia e todos os outros acontecimentos que tornaram o curso, o que ele nos representa hoje.
Mas e ao educador físico? A minha opinião chega a ser um pouco bruta e rude.
Educador físico nada mais é alguém que só vai cuidar do corpo, o próprio ou de quem contratar os seus serviços. Porque, como o nome diz, ele será um educador do corpo, sem avaliar nenhuma outra variável plausível que pode influenciar em uma pessoa. Ele apenas diz o que tem que ser feito e pronto, é isso, não existe o social, o psíquico e nem o cognitivo, apenas o físico.
Mas veja bem, essa é a minha opinião sobre um assunto crítico, várias pessoas ainda vêm à educação física, como sendo aquele curso que você precisa ser bom em todos os esportes, afinal de contas, você vai passar quatro anos na faculdade apenas jogando bola.
É simplesmente triste ouvir isso, vocês não sabem a dificuldade que nós, profissionais de educação física enfrentamos no dia a dia. Simplesmente você optar por fazer o curso, já começa o bombardeio de opiniões negativas e as velhas frases clichês, “iiih, vai fazer o curso que só é brincadeira, isso ai é para quem não quer nada com a vida”.
Se pessoas leigas procurassem entender que nós, da Educação Física, somos doutores assim como os médicos que se graduam em medicina, talvez nossa profissão estivesse em um patamar melhor.
Mas perai, você falou doutores, igual os médicos que curam doenças e fazem coisas milagrosas?
Justamente, nós estudamos anatomia humana, estudamos o mapa metabólico, nutrição, biomecânica e fisiologia, por que não somos os doutores? Ora é muita injustiça apenas virar e falar que não precisam de ninguém para ensinar a fazer um exercício de musculação ou algum exercício educativo para qualquer atividade lúdica em uma escola.
Somos doutores sim, mas nós trabalhos com a prevenção, somos doutores da prevenção, conseguimos com a nossa percepção melhorar a qualidade de vida das pessoas, melhoramos aspectos psicomotores, cognitivos e sociais de um individuo, quantas vezes você já sentou em um consultório médico e sua consulta não durou dez minutos por que o doutor milagroso nem examinou você com exatidão?
Convido todos vocês a conversarem com um PROFISSIONAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA e não um educador físico, como a mídia vem se posicionando sobre a nossa profissão.
Na nossa conversa, vamos procurar saber sobre a sua vida, como você anda nos últimos tempos, precisamos saber disso, por que, nós, os doutores da sua saúde, que vamos cuidar de vocês nos próximos meses, anos ou décadas.
Por favor, mais respeito com a profissão, mais respeito com quem escolheu dedicar a sua vida a conhecer todos os aspectos humanos e conciliar isso com uma simples conversa, mas sem deixar a seriedade de lado.
Mais respeito com os professores que são desvalorizados, por que nas aulas de colégio, é só jogar bola, ninguém vê que o profissional sofre, passa dias e noites e perde horas de sono fazendo planejamento para que seu filho ou seu sobrinho tenha uma aula lúdica, mas ao mesmo tempo, ele consiga ser inserido em um contexto social sem ser excluído, porque ele é gordo, magro, alto ou baixo.
Você não conhece um profissional de Educação Física? Muito prazer, eu sou um dos DOUTORES entre milhões que existem e que vão existir, então, por favor, não venha colocar nomes que não condizem com o que não fazemos.
Eu sou um futuro PROFISSIONAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA e não um EDUCADOR FÍSICO.
Obrigado.