Uma das formas de controlar a intensidade do treinamento aeróbio é através da frequência cárdica de reserva.

Por que é importante que o personal trainer venha a aplicar sessões de treinamento aeróbio para o seu cliente?

Estudos tem demonstrado que o nível de Aptidão Cardiorrespiratório (AP) é considerado um componente relacionado a saúde. Diante disso, baixos níveis AP tem sido associado com um aumento da mortalidade a partir de várias causas, porém especialmente em virtude de doenças cardiovasculares. O aumento da AP estão associada com redução da mortalidade a partir de várias as causas.

É demonstrado na literatura que a pratica de sessões de treinamento aeróbio produz tais efeitos:

– aumento da consumo máximo de oxigênio, sendo resultado a partir de adaptações centrais e periféricas;

– diminuição da ventilação minuto em uma intensidade de exercício submáxima;

– redução do consumo de oxigênio pelo miocárdio no repouso e em uma intensidade de exercitação submáxima;

– diminuição da frequência cardíaca e pressão arterial no repouso e em uma intensidade de exercício submáximo;

– aumento da densidade capilar no músculo esquelético;

– aumento do limite do exercício para início do acúmulo de lactato no sangue, ou seja, o sistema de produção de energia através da oxidação de ácidos graxos ficou mais eficiente;

– aumento do limite de exercício para início de sinais ou sintomas de doenças, como dor no peito, depressão isquêmica do segmento ST e claudicação;

– redução dos valores pressóricos de repouso;

– potencial aumento da níveis séricos de HDL e redução de triglicerídeos séricos;

– redução do peso gordo total e redução da gordura abdominal;

– redução da necessidade de insulina e melhora da tolerância a glicose;

– redução da inflamação;

– diminuição dos sintomas de ansiedade e depressão;

– aumento da função cognitiva;

– melhora na função física e independência para indivíduos idosos;

– aumento do desempenho de trabalho, recreacional e atividades esportivas;

– redução do risco de queda em indivíduos idosos;

– e ainda funciona como terapia efetiva para muitas doenças crônicas em idosos.

Diante do descrito acima no texto, pode-se visualizar que a pratica regular e de forma planejada de sessões de treinamento aeróbio são de suma importância tanto do ponto de vista de desempenho funcional como para a saúde do indivíduo. Obviamente o volume e intensidade dessas sessões dependerá do objetivo do cliente. Por exemplo caso o objetivo desse cliente seja produzir ajustes hipertróficos, o treinamento aeróbio deverá ser aplicado em um volume e intensidade de moderada a baixa, para não atenuar a geração da hipertrofia muscular. Por outro lado, se o objetivo do cliente seja melhorar os níveis cardiorrespiratórios de forma mais intensa por exemplo para condicioná-lo a jogar futebol, ou participar de corridas de 5 Km, 10 km, ou até mesmo e meia maratona passa a ser necessário a aplicação de sessões com moderada a alta intensidade.

No entanto, o que é necessário o personal trainer fazer para prescrever de forma adequada as sessões de treinamento aeróbio?

Para atingir os diferentes objetivos com prática de sessões de treinamento aeróbio, é necessário que o personal trainer defina o volume (duração) e a intensidade da sessão. Analisando particularmente a intensidade, para definir essa variável pode-se utilizar diferentes parâmetros. Um dos mais utilizados para isso é através da frequência cardíaca de reserva. Para isso, o personal trainer deverá inicialmente identificar através da determinação (teste máximo em esteira) ou estimar (através de equações preditivas) a frequência cardíaca máxima do indivíduo. É comum os personais trainers utilizam as equações, dessa forma obterão a Frequência Cardíaca Teórica Máxima (FCTM) do indivíduo.

Após estimar a frequência cardíaca máxima o personal trainer deverá realizar uma subtração do valor teórico máximo pelo valor da frequência cardíaca de repouso do indivíduo. Em seguida, um valor será obtido, valor esse que representará a oscilação em bpm que o personal poderá utilizar para prescrever a intensidade do treinamento aeróbio. Por exemplo, se o cliente busca com a pratica do treino aeróbio maximizar o consumo de gordura durante a sessão, seria interessante aplicar uma intensidade entre 50% a 65% da FCTM dele. Por outro lado, se o objetivo seja aumentar a capacidade cardiorrespiratória, intensidades acima de 70% até aproximadamente 90% da FCTM seriam interessante.

Ficou interessado para saber como será o modulo de prescrição de treinamento aeróbio no Personal em Foco, então clique no link abaixo e faça sua inscrição no curso demonstrativo gratuito.