Os músculos iliocostal, longuíssimo e espinhal formam o grupo eretores da espinha.

Quais os pontos de origem e inserção dos músculo iliocostal?

Sua origem está localizada na região torácica da crista ilíaca, aponeurose toracolombar e face externa da terceira a décima segunda costela. Já sua inserção está localizada junto a face externa da primeira a décima segunda costelas e processos transversos da quarta vértebra cervical a sétima vértebra cervical. Um ponto importante a salientar, é que o iliocostal está localizado do lado direito e esquerdo em relação a coluna vertebral. Assim, diante dos seus pontos de fixações quando esse músculos ao se contrair de forma concêntrica terá a capacidade de produzir o movimento de extensão da coluna vertebral, em ação bilateral. Já quando contrair concentricamente de forma unilateral, tem a capacidade de produzir a flexão lateral da coluna vertebral.

Anatomia funcional

O iliocostal é um dos músculos que fazem parte dos eretores da espinha, em conjunto com os músculos longuíssimo e o espinhal. Um ponto importante a salientar, é que esses músculos interconectam o sacro, o ílio, a coluna vertebral e o crânio, proporcionando maior estabilidade.

O músculo iliocostal é o mais lateral dos três músculos que compõem os eretores da espinha. Seus feixes estendem-se em sentido superior e lateral semelhante aos ramos de uma arvore, desde a face dorsal do sacro e do ílio até a região posterior das cortes e processos transversos das vértebras lombares e cervicais. Essas caraterísticas descritas acima dos feixes musculares do iliocostal, proporcionam a ele ação de alavanca para estender e flexionar de modo intenso a coluna vertebral para o lado. Um ponto importante a frisar, é que o iliocostal também contribui para tracionar as costelas em sentido inferior durante e expiração forçada.

Quais os pontos de origem e inserção do músculo longuíssimo?

A origem está localizada na aponeurose toracolombar, processos transversos das vértebras da quinta vértebra lombar até a primeira vértebra torácica e nos processos articulares da quarta vértebra cervical até a sétima vértebra cervical. Já seus pontos de inserção estão localizados nos processos transversos das vértebras da primeira vértebra torácica até a décima segunda vértebra torácica e da segunda vértebra cervical até a sexta vértebra cervical. Ainda seus pontos de inserção encontram-se na face externa (posteriormente) da terceira a décima segunda costelas e processo mastoide do osso temporal. Um ponto importante a salientar é que os longuíssimos estão localizados tanto do lado direto como esquerdo na face posterior do tronco em relação a coluna vertebral.

Diante desses pontos de origem e inserção os longuíssimos tem por capacidade produzir o movimento de extensão da coluna vertebral (ação bilateral), flexão lateral da coluna vertebral (ação unilateral), rotação da cabeça e do pescoço para o mesmo lado, com uma ação unilateral da parte cervical.

Anatomia funcional

Como já dito acima no texto o músculo longuíssimo em conjunto como iliocostal e espinhal constituem o grupo dos eretores da espinha. Do ponto de vista topográfico, cada longuíssimo (lado direito e esquerdo) ocupa a posição medial em relação ao iliocostal e lateral ao espinhal. Esse músculo (longuíssimo) estendem-se por todo o esqueleto axial, ou seja, desde o sacro e ílio até os processos transversos das vértebras e o processo mastoide do osso temporal.

Um ponto importante a frisar, é que as fibras do longuíssimo são mais verticais que as do iliocostal, portanto, ele é um poderoso extensor e um fraco flexor lateral da coluna vertebral.

Quais os locais de origem e inserção do músculo espinhal?

A origem está localizada nos processos espinhosos da segunda vértebra lombar até a décima primeira vértebra torácica e da segunda vértebra torácica até a sétima vértebra cervical e no ligamento nucal. Por sua vez, seus pontos de inserção estão localizados nos processos espinhosos da primeira vértebra torácica até a oitava vértebra torácica, da segunda vértebra cervical até a quarta vértebra cervical e por fim entre as linhas nucais superior e inferior do occipital.

Diante desses posicionamento de origem e inserção, o músculo espinhal quando se contrai concentricamente produzirá o movimento de extensão da coluna vertebral (ação bilateral), já quando contrair em ação unilateral terá a capacidade de produzir o movimento de rotação da cabeça e do pescoço para o mesmo lado.

Anatomia funcional

O espinhal juntamente com o iliocostal e longuíssimo formam o grupo dos eretores da espinha ou coluna. Por sua vez, o espinhal é o músculos mais medial dos três eretores. Ele estendem-se dos processos espinhosos das vértebras torácicas inferiores e lombares superiores aqueles das vértebras superiores e cervicais inferiores. Em virtude das suas fibras terem um posicionamento mais vertical, dá a ele ( espinhal) uma maior capacidade para estender do que produzir o movimento de rotação da coluna vertebral.

Quais os pontos de fixação do músculo quadrado lombar?

Sua origem está localizada na região posterior da crista ilíaca e ligamento iliolombar, já sua inserção está ligada aos processos transversos da primeira vértebra lombar até a quarta vértebra lombar e margem inferior da décima segunda costela. O ventre muscular do quadrado lombar encontra-se tanto no lado direta como esquerdo do corpo em relação a coluna vertebral.

Diante desses pontos de fixações, o quadrado lombar tem por caraterística produzir os movimentos de extensão da coluna vertebral em ação bilateral, flexão lateral da coluna vertebral em ação unilateral e capacidade de abaixar/fixar a última costela no ato da inspiração.

Anatomia funcional

O quadrado lombar é um músculo profundo e com ações multifuncionais na coluna vertebral. Ou seja, ele conecta o ílio a parte lombar da coluna vertebral (região lateral) e a última costela. As fibras do quadrado lombar encontram-se ligeiramente inclinadas, estendendo-se da costela e da coluna vertebral em sentido inferior e lateral até a região posterior do ílio. Do ponto de vista de localização anatômica, o quadrado lombar está profundo em relação aos eretores da espinha e posterior ao psoas maior.

Sob o aspecto funcional, os músculos quadrados lombares são responsáveis pela posição da coluna vertebral em relação a pelve quando a parte inferior do corpo está fixa. Esses músculos mantém a postura ereta, gerando movimentos laterais finos, gerando movimentos laterais finos, além de extensão em conjunto com os eretores da espinha. Quando o indivíduo está em pé, os músculos quadrado lombar do lado direito e esquerdo conjuntamente com o glúteo médio atuam para posicionar o corpo sobre os membros inferiores.

Por outro lado, durante o ato da marcha, o quadrado lombar, e o glúteo médio, ajudam a estabilizar a pelve a medida que o peso do corpo é transferido de um pé para o outro. Esses músculos impedem que a pelve desloque-se lateralmente e mantem o movimento no plano sagital.  Além disso, o quadrado lombar eleva a crista ilíaca em direção a caixa torácica no momento em que o peso é transferido para o outro pé. Essa ação permite o deslocamento do membro inferior para frente sem que os pés toquem o solo. Por fim, o quadrado lombar também auxilia na respiração. Ou seja, durante a inspiração, ele fixa inferiormente a última costela, permitindo a expansão total da caixa torácica.

Os músculos que compõem os eretores da espinha/coluna atuam em sinergismo com os músculos que compõem o grupo trasnversoespinais para manter a postura ereta da coluna vertebral contra a ação gravitacional. Assim, na sequencia do texto serão apresentados os músculos que compõem o grupo dos trasnversoespinais.

Qual os pontos de fixações (origem e inserção) do músculo semiespinhal?

Sua origem está localizada nos processos transversos da quarta vértebra cervical até a décima segunda vértebra torácica. Já sua inserção está localizada nos processos espinhosos de segunda vértebra cervical a quarta vértebra torácica e entre as linhas nucais superior e inferior do osso occipital. Diante desses seus pontos de origem e inserção, os semiespinhais participaram em contração concêntrica (encurtamento) dos movimentos de extensão da coluna vertebral, com ação bilateral, rotação da cabeça e da coluna vertebral para o lado oposto, quando são acionados de forma unilateral.

Anatomia funcional dos músculos semiespinhais.

Os semiespinhais são componentes do grupo muscular do transversoespinais. Assim, aturarão com os rotadores e multifidios para estabilizar e controlar a posição de cada vértebra enquanto a coluna se movimenta. Todavia, ao contrário do posicionamento dos multifidios e rotadores, os semiespinhais não encontram-se na região lombar da coluna vertebral.

Semiespinhais são os músculos mais superficiais dos que comporem os transversoespinais. Sua fibras apresentam uma duração mais vertical, assim essa característica  proporcionam a ele (semiespinhal) uma maior ação de alavanca para extensão da coluna vertebral.

Qual o ponto de origem e inserção do músculos multifidios?

A origem está localizada na face dorsal do sacro, espinha ilíaca posterosuperior e processos da quinta vértebra lombar até quarta vértebra cervical. Por sua vez, a inserção está fixada nos processos espinhosos da segunda a quarta vértebra subjacente. Dessa forma, os multifidios participarão dos movimentos de quando realizarem contração concêntrica bilateral da extensão da coluna vertebral. Por outro lado, quando contraírem de forma unilateral participarão do movimento de rotação das vértebras para o lado.

Anatomia funcional dos multifidios.

Os multifidios compõem o grupo dos trasnversoespinais. Em sinergismo com o músculo rotadores e semiespinhais formam uma rede que conecta os processos posterolaterais e espinhosos de diferentes vertebras. Os multifidios também estabilizam e controlam a posição da vertebras quando a coluna se movimenta.

Topograficamente os multifidios estão profundos em relação ao semiespinhal e superficiais aos rotadores. Um ponto importante a salientar, é que esse músculo está presente ao longo de toda a coluna vertebral. Uma característica do multifidios conectam os processos articulares (cervical), processo transverso (torácico) ou processo mamilar (lombar) de uma vértebra ao processo espinhoso da terceira ou quarta subjacente. As suas fibras apresentam uma disposição um pouco mais vertical que a dos rotadores, assim, proporcionando melhor ação de alavanca para estender a coluna vertebral.

Quais os pontos de fixações (origem e inserção) dos músculos rotadores?

Nos processos transversos da quinta vértebra lombar até a primeira vértebra cervical são os pontos de origem. Já sua inserção está localizada no processo espinhoso da vértebra subjacente. Os rotadores são “divididos” em rotadores longos do pescoço ou cervical e rotadores curtos do pescoço ou cervical. Rotadores longos e curtos da região torácica da coluna vertebral e rotadores longos e curtos da região lombar. Portanto, diante dos pontos de origem e inserção os rotadores tem como capacidade produzir movimentos de extensão da coluna vertebral, quando contraírem de forma bilateral e de rotação das vértebras para o lado oposto quando contraírem de forma unilateral.

Anatomia funcional dos músculos rotadores.

Os músculos rotadores formam também o transversoespinais. Esses músculos (rotadores) formam uma “rede” que conecta processos transversos e espinhosos de diferentes vértebras. Assim, eles trabalham juntos para estabilizar e controlar a posição das vértebras quando a coluna se movimenta.

Os rotadores são os músculos mais profundos dos que compõem transversoespinais. Um ponto interessante a salientar é que eles estão presentes em todos os segmentos da coluna vertebral, porém, são mais desenvolvidos na parte torácica da coluna vertebral. Um característica interessante dos rotadores é que cada músculo possui duas partes; a primeira se conecta o processo transverso de uma vértebra e o segundo ao processo espinhoso da segunda vértebra acima. As fibras musculares dos rotadores apresentam sua direção aproximadamente horizontal. O que lhes propicia boa ação de alavanca durante a rotação, mais poucas capacidade de produzir extensão da coluna vertebral. Assim, comparando os músculos acima citados tem maior capacidade para extensão da coluna porque sua fibras estão no sentido vertical.

Quais os pontos de origem e inserção dos músculos interespinhais?

A origem está localizada nos processos espinhosos da quinta vértebra lombar até a segunda vértebra lombar, décima segunda vértebra torácica e entre os processos espinhosos da segunda vértebra torácica até a segunda vértebra cervical. Já sua inserção está localizada nos processos espinhosos das vértebras subjacentes. Diante disso, os músculos interespinhais tem como principal função produzir o movimento de extensão da coluna vertebral, agindo de forma bilateral.

Anatomia funcional

Os interespinhais são músculo pequenos e profundos que conectam os processos espinhosos de duas vértebras adjacentes e que trabalham em pares, sendo um de cada lado do ligamento interespinhal. Assim, sua função principal é controlar e manter a postura no sentido anteroposterior contra a gravidade quando o corpo está ereto. Suas fibras musculares são verticais e estão situadas medialmente na região posterior da coluna vertebral. Diante desse posicionamento das suas fibras é permitido a esse músculo realizar contrações isométricas para manter a coluna vertebral ereta no plano sagital.

Um ponto importante a salientar é que os músculos interespinhais estão ausentes na região torácica da coluna vertebral, a qual apresenta menor mobilidade em virtude da ação estabilizadores da caixa torácica e, portanto, pouca necessidade de músculos estabilizadores como os interespinhais.

Seguidores, não percam a vídeo aula de hoje e visualizem os pontos de origem e inserção dos músculos que compõem os eretores da espinha.