Dependendo do posicionamento da polia pode-se alterar o ponto da maior braço de alavanca na fase concêntrica da elevação lateral no polia.

Em qual ponto da amplitude de movimento na exercício de elevação lateral na polia ocorrerá o maior braço de alavanca?

Ao contrário dos exercícios com pesos livres, onde a resistência sempre estará na vertical de cima para baixo, nos exercícios em cabo ou polias a resistência sempre estará no sentido do mesmo (cabo). Portanto, para identificar o ponto de maior braço de alavanca no exercício de elevação lateral no polia, deve-se identificar a maior distância perpendicular, ou seja que forma um ângulo de 90° entre o projeção da resistência (o cabo) e o eixo articular (eixo anteroposterior da articulação do ombro).

Dessa forma, após conseguir entender as informações descritas acima, pode-se agora analisar o ponto de maior braço de alavanca da resistência neste exercício. Assim, quando o indivíduo está com o ombro totalmente aduzido, ou seja, o membro superior está tocando o tronco já se tem um braço de alavanca significante. Dessa forma, já ocorrerá uma ação do músculo motores primários, deltoide principalmente a parte medial e supraespinhal. Entretanto, quando o indivíduo começa a executar a fase concêntrica do movimento, isto é a abdução do ombro, a distância perpendicular entre a projeção da resistência e o centro articular começa a aumentar. Portanto, o braço de alavanca da resistência começará a aumentar, e consequentemente o torque resistivo e muscular. Diante disso, quando o indivíduo atingir um ângulo de 90° entre a projeção da resistência e do eixo articular, o que ocorrerá por volta da metade da abdução do ombro, dar-se o maior braço de alavanca e por sua vez torque resistivo e muscular.

Todavia, da metade da fase concêntrica para o final, a distância perpendicular entre o ponto de projeção da resistência e o eixo articular começará a reduzir-se. Assim, o braço de alavanca começará a cair e consequentemente o torque resistivo e muscular também. Já se o indivíduo realizar a fase concêntrica até uma abdução de 90°, ocorrerá uma forte redução do braço de alavanca da resistência, sendo assim, um ponto de menor estresse para o músculos motores primários.

E se caso mudar-se a posicionamento da polia, o que acontece?

Imaginemos que o personal trainer venha a posicionar a polia na altura do cotovelo do indivíduo. Diante disso, se produzirá o maior braço de alavanca no início do movimento, ao contrário da situação descrita anteriormente, onde o maior braço de alavanca ocorria na metade do movimento de abdução.

Entretanto, quando o indivíduo começar a realizar a fase concêntrica do movimento (abdução do ombro), a distância entre a projeção do eixo articular e da resistência começará a reduzir. Dessa forma, o braço de alavanca, toque resistivo e muscular irá reduzir. Já próximo aos 90° de abdução do ombro ocorrerá o menor braço de alavanca e consequentemente torque resistido e muscular. Ao comparar com a variação descrita anteriormente no final do movimento a intensidade nesta variação (com a polia na altura do cotovelo do indivíduo) produzirá uma tensão muscular menor.

De que forma pode-se utilizar esses conhecimento na prática?

Imaginando que o personal trainer esteja trabalhando com um indivíduo que seja iniciante no treinamento resistido com pesos ou musculação e que esteja realizando uma transição nos exercícios e irá iniciar a prescrição a elevação lateral na polia. Diante disso, seria interessante que prescreva a segunda variação apresentada. Porque, nesta variação o maior dificuldade do exercício dar-se-á no início do movimento. Entretanto, no início é onde o músculo se encontra na melhor relação força-comprimento, ou seja, está no comprimento ideal e assim será possível produzir várias pontes cruzadas, que é a conecçaõ da cabeça da miosina com o sitio ativo de actina. Assim, se forma realizando a fase concêntrica do movimento o braço de alavanca irão diminuindo, o que possivelmente facilitará ao indivíduo iniciante conseguir executar em uma técnica adequada.

Por outro lado, para um indivíduo avançado no treinamento resistido com pesos ou musculação, seria interessante criar o máximo de dificuldade para o músculo durante a amplitude de movimento. Diante deste lógica, a primeira variação parece ser mais interessante. Pois, o maior braço de alavanca será produzido mais ou menos no meio da fase concêntrica do movimento, ou seja, como citado acima quando se atingir um ângulo de 90° entre a projeção da resistência e do eixo articular. Neste ponto da amplitude de movimento, o músculo já não estará na sua melhor relação força comprimento. Dessa forma, será necessário aumentar o recrutamento de unidades motoras para que o indivíduo consiga progredir a execução da fase concêntrica. Assim, gerando um maior estresse mecânico.

Seguidores, não percam a vídeo aula e identifiquem os braço de alavanca no exercício de elevação lateral no polia.