Você conhece a SOMATOTIPIA?
Conhece as CARACTERÍSTICAS deste método de análise da MORFOLOGIA humana?
Você já UTILIZOU a estratégia da somatotipia, para analisar as MODIFICAÇÕES morfológicas?
Será que podemos utilizar esse método em um FISICULTURISTA e em nosso CLIENTE da academia?

Lembrando a todos que o TREINO EM FOCO está acompanhando o atleta de FISICULTURISMO Henrique Manoel de Oliveira, em sua PREPARAÇÃO para disputar um campeonato, onde já foram realizadas três avaliações com este fisiculturista ao longo de sua preparação. Na PRIMEIRA vídeo aula apresentamos a ESTRUTURA MORFOLÓGICA do fisiculturista, já na SEGUNDA vídeo aula foi apresentado a relação das DOBRAS CUTÂNEAS com teor de gordura corporal, e no programa de hoje apresentaremos uma outra FERRAMENTA ou ESTRATÉGIA, que é a SOMATOTIPIA. Reforçando que todo esse trabalho de acompanhamento e monitoramento é realizado no Laboratório de Desempenho Humano da FURB.

Com o MONITORAMENTO SOMATOTIPICO, vamos avaliar através do componente de ENDOMORFIA, que expressa o teor de GORDURA CORPORAL, e também do componente de MESOMORFIA, que expressa o teor de MASSA MUSCULAR ou muscularidade corporal. Quanto MAIOR for o componente ENDOMÓRFICO, esse irá expressar um BIOTIPO com um teor de gordura corporal ELEVADO, já o componente de MESOMORFIA quanto maior for, mais FORTE e MUSCULOSO será o indivíduo, quanto mais alto, LONGILINIO , maior a ENVERGADURA, maior ESTRUTURA ÓSSEA, maior será seu componente ECTOMÓRFICO, que no caso do fisiculturista Henrique, não nos interessará muito.

Todos indivíduos APRESENTAM os três componentes, ou seja, todas as pessoas tem o componente ECTOMÓRFICO, MESOMÓRFICO e ENDOMÓRFICO, o que se discute na somatotipia é a QUANTIDADE de cada um destes componentes na sua estrutura biotípica.
No caso do atleta de fisiculturismo Henrique, na PRIMEIRA avaliação ele apresentava 4,17 de ENDOMORFIA, 8,07 de MESOMORFIA, e 0,26 de ECTOMORFIA, portanto, não se caracteriza por um indivíduo alto, pelo contrário, se trata de um indivíduo mais baixo, apresentando como seu PRINCIPAL componente a MUSCULARIDADE e com algum grau de ENDOMORFIA. Mas o que nos interessa não é fazer uma análise pontual, e sim, analisar a EVOLUÇÃO SOMATOTÍPICA ao longo de três avaliações. Com relação a ENDOMORFIA na sua primeira avaliação o Fisiculturista apresentou 6,2, na segunda avaliação 4,2, e já na terceira um valor de 3,4, podemos concluir que houve um COMPORTAMENTO DESCENDENTE do teor de gordura corporal.

No seu componente MESOMÓRFICO, que analisa o TECIDO MUSCULAR, ou desenvolvimento muscular, o atleta apresentou na sua primeira avaliação 8,0, já na segunda avaliação o valor foi de 8,1, e na última foi de 8,3. Desde a primeira avaliação já apresenta um valor bastante EXPRESSIVO de mesomorfia, e obviamente isso é uma CARACTERÍSTICA do fisiculturista, mas não houve um COMPORTAMENTO ASCENDENTE.
Podemos concluir que: através da SOMATOTIPIA no caso do atleta Henrique, a ENDOMORFIA foi sensível às suas modificações corporais ao longo do tempo, já o componente MESOMÓRFICO não foi sensível às MODIFICAÇÕES CORPORAIS.

Então SEGUIDOR do TREINO EM FOCO, se você quer CONHECER a somatotipia, suas CARACTERÍSTICAS, e se você pode UTILIZAR este método para analisar as modificações morfológicas, NÃO PERCA a vídeo aula de hoje.