Você conhece os PERÍMETROS CORPORAIS?
Você já MEDIU seus perímetros  corporais?
Nas avaliações da COMPOSIÇÃO CORPORAL, você realiza a medida dos PERÍMETROS de seus clientes?
Posso utilizar essa ESTRATÉGIA para acompanhar e monitorar um FISICULTURISTA por perimetria?
Ou ainda, posso utilizar com meus  CLIENTES na academia?
Você já ouviu falar em PERÍMETRO TOTAL E PERÍMETRO MAGRO de um segmento?

Então, como posso utilizar os perímetros para monitorar o comportamento do TECIDO MUSCULAR, e do TECIDO GORDUROSO de um fisiculturista?

No programa de hoje, realizaremos um MONITORAMENTO através da PERIMETRIA, utilizando o PERÍMETRO TOTAL do segmento braço e coxa. Apresentaremos também uma ideia de PERÍMETRO MAGRO do segmento de braço e coxa, no intuito de analisar o desenvolvimento do TECIDO MUSCULAR e a diminuição do teor de GORDURA nestes dois segmentos corporais, portanto, em membros superiores e inferiores. Monitoraremos também o DESENVOLVIMENTO do fisiculturista Henrique.

Para realizar a análise de hoje, imaginaremos um CORTE TRANSVERSAL dos segmentos braço e coxa. A ideia do corte TRANSVERSAL do segmento, é que ele seja perpendicular ao EIXO LONGITUDINAL, tanto em braço como no segmento coxa. A partir dessa ideia, do CORTE TRANSVERSAL, poderemos analisar os constituintes internos ou os principais constituintes MORFOLÓGICOS internos dos segmentos BRAÇO e COXA.
Quando realizamos a medida de braço e coxa relaxados, obteremos um valor de PERÍMETRO EXTERNO, e nesta medida perimétrica estamos CAPITALIZANDO um ANEL DE GORDURA, TECIDOS MUSCULARES que compõem o seguimento e obviamente o TECIDO ÓSSEO, esta medida é chamada de PERÍMETRO TOTAL do segmento, que é mensurado através da fita métrica.
Através de cálculos matemáticos, temos a condição de CALCULAR E ESTIMAR o PERÍMETRO MAGRO do segmento, logicamente que para efetuar este cálculo, precisaremos da medida de DOBRA CUTÂNEA tricipital e da coxa medial, ou seja, para chegar a essa medida de PERÍMETRO MAGRO, são realizado CÁLCULOS utilizando o valor de perímetro do seguimento, mais a dobra cutânea do mesmo segmento. É denominado desta forma, PORQUE nesta medida não ENGLOBAMOS mais o ANEL DE GORDURA SUBCUTÂNEO, somente é medido o TECIDO MUSCULAR e TECIDO ÓSSEO, que obviamente em um trabalho de aumento do volume muscular ou HIPERTROFIA e EMAGRECIMENTO, os dois tecidos que sofrerão mais efeito do treinamento, tanto em braço como em coxa, são o TECIDO MUSCULAR e o TECIDO GORDUROSO.

Na EVOLUÇÃO das áreas segmentares do fisiculturista Henrique, com as três avaliações realizadas para a medida de PERÍMETRO TOTAL do segmento braço, na PRIMEIRA avaliação ele apresentou um valor de 36,9 cm, na SEGUNDA 37,9 cm, e na TERCEIRA avaliação 38,2 cm, podemos observar que houve um COMPORTAMENTO ASCENDENTE. Já para o perímetro total de COXA, na PRIMEIRA avaliação o fisiculturista apresentou um valor de 59,0 cm, na SEGUNDA 58,9 cm, e na última avaliação 59,4cm, então podemos concluir que NÃO HOUVE um comportamento ascendente SIGNIFICATIVO, lembrando que nestes valores apresentados, o ANEL DE GORDURA está INCLUÍDO no valor da medida.

Agora vamos observar uma situação em que EXCLUIREMOS este anel de gordura, e avaliar única e exclusivamente o PERÍMETRO MAGRO do braço e coxa. No braço, na PRIMEIRA avaliação o valor foi de 34,4 cm, na SEGUNDA 35,8 cm, e na TERCEIRA 36,6 cm, então o aumento real do TECIDO MAGRO foi mais intenso, visto da medida de PERÍMETRO MAGRO do que do perímetro total.
E por fim o segmento COXA, na medida do PERÍMETRO MAGRO, na PRIMEIRA avaliação, o valor foi de 59,0 cm, na SEGUNDA 58,9 cm, e na TERCEIRA 59,4 cm, podemos observar com a medida do perímetro magro, que houve um GANHO da primeira para a segunda avaliação, e da segunda para a terceira avaliação, ocorrendo uma ASCENDENTE de ganho PERIMÉTRICO MUSCULAR.

Então SEGUIDOR do TREINO EM FOCO, se você quer conhecer essa ESTRATÉGIA de MONITORAMENTO, não perca a vídeo aula de hoje, e saiba como REALIZAR as medidas do perímetro total, e perímetro magro dos segmentos corporais.