Monitoramento de Regiões e áreas de DISTRIBUIÇÃO DE GORDURA CORPORAL, você já ouviu FALAR sobre esse assunto?
Você sabe como IDENTIFICAR essas regiões e áreas da distribuição da gordura corporal?
Posso acompanhar a EVOLUÇÃO MORFOLÓGICA, monitorando a distribuição de gordura corporal?
E ainda, consigo MONITORAR e acompanhar a evolução de um FISICULTURISTA, com essa ESTRATÉGIA?
E com meu CLIENTE na academia posso utilizar esse estratégia de MONITORAMENTO?

Nos programas ANTERIORES, fizemos uma análise da COMPOSIÇÃO CORPORAL do fisiculturista Henrique, do SOMATÓRIO de DOBRAS CUTÂNEAS, da sua SOMATOTOPIA, e de suas ÁREAS CORPORAIS, já no programa de hoje, , analisaremos a DISTRIBUIÇÃO DE GORDURA CORPORAL, e principalmente a EVOLUÇÃO dessa distribuição corporal durante seu treinamento.
O primeiro ponto que devemos entender é que, para acompanhar a evolução da distribuição de gordura corporal é que, teremos que realizar o SOMATÓRIO TOTAL DAS DOBRAS CUTÂNEAS. Por exemplo para acompanhar a evolução de TRONCO e MEMBROS, imaginamos que o somatório total das dobras cutâneas tenha atingido 100 mm (milímetros), posteriormente realizando um CALCULO MATEMÁTICO poderemos obter os valores percentílicos da DISTRIBUIÇÃO da GORDURA CORPORAL em cada seguimento, como no caso do fisiculturista Henrique, o valor do SOMATÓRIO das dobras cutâneas nos TRONCO foi de 40 mm, ou seja 40 % do somatório das dobras cutâneas se encontram no TRONCO, logicamente que para completar o valor de 100 mm, ou 100% do somatório de dobras cutâneas, 60 mm do total de encontra nos MEMBROS, assim completando os 100 mm, ou 100 % do SOMATÓRIO DE DOBRAS CUTÂNEAS.

Na PRIMEIRA avaliação do fisiculturista Henrique os MEMBROS SUPERIORES E INFERIORES tinham 30,7% de somatório de dobra cutânea total, e obviamente os outros 69,3% para completar os 100% se encontravam no TRONCO. Já na SEGUNDA avaliação, apresentou nos MEMBROS 35,9% do somatório de dobras cutâneas , no TRONCO encontramos um valor de 64,1% do somatório total de DOBRAS CUTÂNEAS, então podemos observar que da primeira para segunda avaliação, ocorreu um AUMENTO da distribuição de gordura em MEMBROS, e uma DIMINUIÇÃO na região TRONCO. Na TERCEIRA e última avaliação do fisiculturista Henrique, a região dos membros superiores e inferiores, apresentou 36,2% do somatório total de dobras cutâneas, na região do tronco o valor foi de 63,8% do somatório total de dobras cutâneas, podemos concluir que para os MEMBROS houve um COMPORTAMENTO ASCENDENTE na distribuição de gordura corporal, e consequentemente os valores de gordura no TRONCO do fisiculturista foram DIMINUINDO.

Bom existem também OUTRAS FORMAS de análise bem interessante para avaliar como está o COMPORTAMENTO DA DISTRIBUIÇÃO DE GORDURA do fisiculturista. Podemos analisar o TRONCO como um todo, ainda analisar segmentando,ou seja, somente a região do TRONCO SUPERIOR que envolve as dobras cutâneas SUBESCAPULAR e AXILAR MÉDIA, e também analisar exclusivamente o TRONCO INFERIOR que envolve as dobras cutâneas SUPRAILIACA E ABDOMINAL. Como visto anteriormente que o tronco foi DIMINUINDO seu teor de gordura ao longo das três avaliações, observamos ainda que no TRONCO SUPERIOR a distribuição de gordura diminui, da primeira avaliação para segunda, e ocorreu AUMENTO da distribuição de gordura da segunda para a terceira avaliação. Já no TRONCO INFERIOR a distribuição de gordura foi GRADATIVAMENTE DESCENDENTE.

Então SEGUIDOR do TREINO EM FOCO, não perca a ÚLTIMA vídeo aula da serie Morfologia de Fisiculturista, e saiba como monitorar as ALTERAÇÕES MORFOLÓGICAS, que um treinamento está proporcionando, do ponto de vista da DISTRIBUIÇÃO DE GORDURA CORPORAL em regiões e áreas corporais.