Durante e execução do tríceps testa com barra poderá ocorrer em algum ponto da fase excêntrica do movimento a ocorrência de insuficiência passiva da cabeça longa do tríceps braquial. Essa ocorrência poderá levar o indivíduo a um comprometimento da técnica de execução do exercício.

Links relacionados ao seu guia de estudo sobre o tema:

O que é insuficiência passiva?

A insuficiência passiva poderá ocorrer no momento em que um determinado músculo atinge o seu grau de extensibilidade máxima. Ou seja, em um determinado ângulo da fase excêntrica do movimento de um exercício, particularmente músculos que atuam em duas articulações (músculos biarticulares), poderão atingir sua extensibilidade máxima e assim, não conseguir mais ceder em alongamento, entrando assim em insuficiência passiva, ou seja, incapacidade de alongar-se ainda mais.

Pode ocorrer insuficiência passiva durante a execução do exercício de tríceps testa com barra?

O tríceps testa com barra é um exercício comumentemente realizado por praticantes de Treinamento Resistido com Pesos (TRP), quando visa-se produzir a treinabilidade do grupo tríceps braquial (tríceps cabeça longa, medial e lateral) e ancôneo. Muitas vezes durante a execução desse exercício pode-se ver erros da técnica de execução como, hiperextensão da coluna vertebral, uma abdução dos ombros ou ainda uma flexão dos ombros, principalmente durante a execução da fase excêntrica do movimento (flexão dos cotovelos).

Esses erros de técnica de execução podem não estar relacionado a falta de coordenação motora, propriocepção ou até mesmo equilíbrio. Ou seja, esses erros parecem estar intimamente relacionado a ocorrência de insuficiência passiva, particularmente da cabeça longa do tríceps braquial. Portanto, em um determinado ponto da execução da fase excêntrica do movimento o indivíduo poderá atingir a extensibilidade máxima da cabeça longa do tríceps braquial (o ponto de extensibilidade máxima irá variar de indivíduo para individuo). Assim, para que o indivíduo consiga produzir maiores graus da fase excêntrica (baixar mais a barra) ele terá que produzir ou uma hiperextensão da coluna vertebral, flexão ou abdução dos ombros.

Um ponto importante a salientar, é que se o personal trainer orientar seu cliente a iniciar o exercício de tríceps testa com barra, com uma prévia flexão dos ombros, buscando eliminar o ponto de descanso no final da fase concêntrica (ponto de menor tensão muscular em virtude da redução do braço de alavanca), essa insuficiência passiva poderá ocorre de forma mais precocemente. Porque esse cliente poderá atingir a extensibilidade máxima da cabeça longa do tríceps braquial mais precocemente. Obviamente existem indivíduos que entraram em insuficiência passiva de forma mais precoce, outros mais tardiamente e outros ainda não entraram em insuficiência passiva durante a execução do tríceps testa com barra. Essa peculiaridade dependerá do grau de extensibilidade ou encurtamento que o indivíduos apresentam.

Por que poderá ocorrer insuficiência passiva da cabeça longa do tríceps braquial durante a execução do tríceps testa com barra?

Para entendermos porque durante a execução do tríceps testa com barra a cabeça longa do tríceps braquial poderá entrar em insuficiência passiva e acarretar um erro na técnica de execução, é necessário primeiramente relembrar algumas questões anatômicas e cinesilógicas.

A cabeça longa do tríceps braquial tem sua origem localizada no TUBERCULO INFRAGLENOIDAL DA ESCAPULA, já sua inserção no OLECRANO DA ULNA. Assim, podemos entender que essa cabeça do tríceps braquial “cruza” as articulações glenoumeral/ombro e do cotovelo. Diante desse posicionamento de origem e inserção, o tríceps cabeça longa atua nos movimentos de extensão dos ombros, atrelado ao latíssimo do dorso, redondo maior e deltoides posterior e principalmente no movimento de extensão dos cotovelos, atuando em conjunto com cabeça curta e medial e musculo ancôneo. Isto é a cabeça longa do tríceps braquial irá contrair-se quando executa-se uma extensão glenoumeral/ombro ou uma extensão do cotovelo.

Relembrado, essas questões de anatomia e cinesiologica podemos passar para o entendimento do porquê poderá ocorrer insuficiente passiva da cabeça longa durante esse exercício. Para a execução do tríceps testa na barra, como posição inicial o indivíduo deverá realizar o movimento de flexão do ombro de aproximadamente 90°. Ao adotar essa posição (90° de flexão dos ombros) o indivíduo já estará produzindo algum grau de alongamento da cabeça longa do tríceps braquial. Entretanto, durante a fase excêntrica do movimento o indivíduo executará uma flexão dos cotovelos, assim, produzindo um alongamento ainda maior da cabeça longa do tríceps braquial. Pois relembrando, o tríceps braquial cabeça longa é extensor do ombro e do cotovelo. Dessa forma, dependendo do grau de extensibilidade que esse indivíduo apresente desse músculo, em algum ponto da amplitude de movimento da fase excêntrica o tríceps cabeça longa poderá atingir sua extensibilidade máxima e assim gerando a ocorrência de insuficiência passiva e assim, um erro de execução para que a amplitude dessa fase seja ampliada.

Mas por que foi citado acima no texto que se o personal trainer ao solicitar que seu cliente execute uma flexão do ombro ainda maior no início do exercício a insuficiência passiva poderá ocorrer mais precocemente?

Como apresentado acima o tríceps cabeça longa é extensor do ombro e do cotovelo, caso o personal trainer oriente o seu cliente a aumentar a flexão dos ombros antes de iniciar o exercício, para evitar que no final da fase concêntrica ocorra o ponto de descanso, porém, essa estratégia poderá potencializar a ocorrência da insuficiência passiva mais precocemente. Essa insuficiência passiva precoce, poderá ocorrer porque como esse cliente realizará uma flexão do ombro maior que 90°, a cabeça longa do tríceps será ainda mais alongada antes de iniciar a fase excêntrica do movimento. Assim, quando o cliente iniciar a fase excêntrica a insuficiência passiva poderá ocorrer mais precocemente em relação a execução onde os ombros estão em um ângulo de 90°.

Qual a atitude imediata que o personal trainer poderá tomar para corrigir o erro na técnica de execução em virtude da insuficiência passiva da cabeça longa do tríceps braquial?

A insuficiência passiva durante a execução do tríceps testa com barra, poderá levar o indivíduo a erros técnicos de execução como hiperextensão da coluna vertebral, extensão e abdução glenoumeral/ombros. Particularmente a hiperextensão da coluna vertebral é dos três erros citados a mais preocupante. Porque ao produzir-se a hiperextensão da coluna vertebral ocorrerá um deslocamento do núcleo pulposo para a fase posterior do discos intervertebral, assim aumento da sobrecarga sobre a fase posterior do disco intervertebral. Esse cenário poderá produzir algum tipo de dor principalmente na região lombar da coluna vertebral. Ainda indivíduos que apresentam hérnia de disco nessa região deverão ser desencorajadas para a realização de movimentos de hiperextensão da coluna vertebral, pois poderá agravar essa hérnia discal.

Diante disso, de forma imediata o personal trainer deverá limitar a amplitude de movimento da fase excêntrica, ou seja, solicitar ao seu cliente que venha a executar essa fase do movimento até um ponto em que o mesmo consiga manter a técnica ideal de movimento. Ou seja, realizar a fase excêntrica até o ponto em que não ocorra hiperextensão da coluna vertebral, flexão e abdução dos ombros.

E qual a tomada de decisão a longo prazo que o personal trainer deverá tomar para minimizar ou eliminar a ocorrência de insuficiência passiva no tríceps testa com barra?

Como a ocorrência dessa insuficiência passiva poderá estar intimamente atrelado a um grau excessivo de encurtamento da cabeça longa do tríceps braquial, seria interessante que o personal trainer venha aplicar no seu cliente um trabalho de flexionamento para produzir aumento da extensibilidade. Ou seja, para tentar solucionar a ocorrência da insuficiência passiva durante o exercício de tríceps testa com barra, seria interessante que o personal venha aplicar nesse seu cliente um trabalho de flexionamento.

Para isso, deverá realizar exercícios de flexionamento que produzam obviamente os movimentos contrários aos quais o tríceps cabeça longa produz ao se contrair. Assim, sendo, os movimentos de flexão dos ombros e dos cotovelos.

Seguidores, não percam a vídeo aula de hoje e compreendam porque poderá ocorrer insuficiência passiva da cabeça longa do tríceps braquial, no exercício de tríceps testa com barra.