Analisar o Vo2 Máximo relativo dará ao personal trainer uma visão mais sensível da capacidade aeróbio do seu aluno/cliente.

Por que é mais interessante utilizar a medida de Vo2 Máximo relativo?

Vamos imaginar que um determinado personal trainer esteja trabalhando com dois alunos/clientes que apresentam um valor de 4 litros por minuto. Ao analisar esse valor, o personal trainer certamente irá concluir que esses seus alunos/clientes apresentam a mesma capacidade de captar, transportar e utilizar oxigênio para a produção e energia de forma aeróbia.

No entanto, ao mensurar massa corporal do aluno/cliente A é de 65 Kg, por outro lado o Aluno/cliente B tem uma massa corporal de 85 Kg. Ou seja, pode-se notar que o aluno/cliente B é mais pesado que o A. Será que esse cenário irá influenciar por exemplo na capacidade aeróbia entre os alunos/clientes? Sim, pois ao transformar os 4 litros em mililitros se obterá um valor de 4000 ml/min para ambos os alunos/clientes. No entanto, ao dividir esse valor de 4000 ml pela massa corporal o personal trainer chegará ao valor de 61,5 ml/mim/kg para o aluno/cliente A e de 47,0 ml/mim/kg para o aluno/cliente B.

Diante dos resultados apresentados acima, podemos notar que o aluno/cliente A tem um Vo2 Máximo relativo maior do que o B. Observando de outra forma o personal trainer poderá concluir que o aluno/cliente A tem uma capacidade de captar, transportar e utilizar oxigênio e assim uma capacidade aeróbio melhor do que o B. Portanto, por exemplo em uma prova de corrida de longa distância, levando em consideração somente esse fator (Vo2 Máximo relativo) o aluno/cliente A levará vantagem. Obviamente, outros fatores também influenciam o desempenho em uma prova de corrida.

Diante desse conhecimento do Vo2 Máximo relativo qual tomadas de decisão o personal trainer poderia tomar?

 Como o aluno/cliente B apresenta uma massa corporal que é de 20 kg maior do que o A, certamente seu gasto energético para uma mesma velocidade de corrida em uma prova será maior do que o A. Diante disso, a ocorrência da fadiga muscular poderá se instalar de forma mais rápida no B comparado ao A. Possivelmente, esse cenário repercutirá em um desempenho melhor para o A sobe o B.

Diante disto, o personal trainer poderá tomar algumas decisões caso o objetivo dele for melhorar o desempenho na corrida do aluno/cliente B. Sendo um ponto que depende principalmente do personal trainer, ele poderá planejar os treinos mais intensos do ponto de vista aeróbio. Ou seja, busca realizar uma periodização com o foco principal de aumentar o Vo2 Máximo e assim o desempenho aeróbio. Atrelado a isso, para tentar intensificar essa melhora, um trabalho com um nutricionista para desenvolver um planejamento alimentar poderá ser bem vindo. Pois se conseguir reduzir a massa corporal, principalmente do ponto de vista de gordura, e com um treinamento visando a melhora do Vo2 máximo, o Vo2 Máximo relativo irá melhorar. Assim, consequentemente a capacidade aeróbio deste aluno/cliente B também. Obviamente, essa é uma forma de pensar para melhorar o desempenho do aluno/cliente B. No entanto, outras formas poderão ser realizadas.

Seguidores, não percam a vídeo aula de hoje.