Cláudia Lunardi

Geralmente quando as pessoas descobrem que fui mãe há pouco tempo e já estou realizando atividade física me questionam: seu parto foi normal né? Acredito que associam a recuperação rápida ao parto normal.

Bem, eu tentei parto normal, houve rompimento da bolsa, mas não tive dilatação e contrações de imediato. As mesmas surgiram algum tempo depois e optei, junto a obstetra, pela cesárea, pois já havia perdido muito liquido.

A cesárea e o pós-parto imediato foram tranquilos. Tive pequenas dores na região dos pontos, mas nada insuportável. Como toda cesárea, no primeiro dia já andei (com dores nos pontos) e no segundo dia ao parto dei banho no bebe (no hospital mesmo). Sai do hospital andando sem desconforto. Só tive dores nos momentos em que a musculatura abdominal era solicitada, como para levantar da cama (em qualquer posição doía), espirros e tosse. Outras situações eram fáceis de controlar/contornar a dor.

Iniciou-se então o resguardo. Quarenta dias de muitos cuidados. Juntamente, iniciou-se novamente o processo de ouvir opiniões alheias. Com seis dias fui ao mercado. A atendente brigou comigo quando solicitei ajuda para levar as compras ao carro (o carro estava estacionado distante do mercado e eu não podia sair com o carrinho de lá). Será que é tão difícil entenderem que eu estava bem. Nunca senti dor nestes momentos e obviamente eu não iria me expor a situações de risco, pois seria pior para mim e para o bebê.

Com cerca de 10 dias retomei as caminhadas com meus cachorros (2 km em media).
No 40º dia do resguardo, voltei a correr. Foi ótimo, pois as dores lombares decorrentes da inatividade física já estavam incomodando. Corri 3 km tranquilamente. Gradativamente aumentei a distancia e tempo. Com 80 dias participei de uma corrida de revezamento tradicional em Brasília (Volta do Lago – 100 km que são revezados entre no máximo oito pessoas). Minha equipe foi composta por oito mulheres e eu corri dois trechos (9,2 km e 6,7km).

claudia pós parto correndo

E para demonstrar que não sou a única nesta empreitada de ter filho e manter uma vida ativa publico a foto abaixo. Nossa equipe do Volta ao Lago foi composta por oito mulheres, sendo seis mães. Destas seis mães, três ainda amamentam. Acho esta foto maravilhosa, pois resume todo o esforço e gratificação em ser mãe atleta! 

gravidez ativa

 Da esquerda pra direita: Cláudia Lunardi, Thaysa Quixabeira e Poliana Quixabeira