A leitura rápida da espessura da dobra cutânea relógios do adipômetro é um grande desafio para avaliadores iniciantes.

Qual um dos principais erros que o avaliador iniciante comete no momento de obter os valores da espessura da dobra cutânea?

A avaliação antropométrica é um grande desafio par ao profissional de educação física. Ou seja, para obter uma medida acurada e com isso uma estimativa com um erro menor por exemplo do percentual de gordura corporal, é necessário que ele (profissional) esteja atento a diferentes pontos. Assim, é necessário realizar a demarcação, o destacamento/pinçamento da dobra e a colocação das hastes do adipômetro exatamente sobre a interseção das linhas traçadas sobre o ponto de medida. Além disso, é ainda necessário manter o adipômetro perpendicular em relação ao seguimento onde a espessura da dobra cutânea será obtida.

No entanto, além de realizar todos esses pontos descritos acima com extremo cuidado, o profissional ainda terá ter extremo cuidado no momento de leitura dos relógios do adipômetro. Isto é, após a colocação das hastes sobre a dobra cutâneas ele, terá entre dois a quatro segundos para realizar a leitura dos valores nos relógios.

A leitura deverá ser realizada neste espaço de tempo, pois a dobra cutânea irá se desformando caso as hastes do adipômetro permaneçam muito tempo a pressionando. Assim, caso fique por exemplo entre cinco a dez segundos os valores obtidos certamente serão equivocados. Isto refletirá nos valores finais da avaliação.

Qual a estratégia que o avaliador iniciante poderá realizar para realizar a leitura entre dois quatro segundos?

Existem diferentes formas que treinar a velocidade da leitura nos relógios do adipômetro. Inicialmente, o avaliador iniciante poderá posicionar as hastes do adipômetro sobre uma superfície que não seja maleável, como por exemplo na extremidade de uma mesa. Assim, a força das hastes do adipômetro (via as molas) obviamente então terá força suficiente para deformar as extremidade da mesa, o que facilitará  leitura dos relógios.

Ao longo do tempo quando o avaliador já estiver conseguido realizar a leitura rápida ao posicionar sobre a extremidade da mesa, poderá começar a posicionar o adipômetro sobre estrutura que sejam uma pouco mais maleáveis, como por exemplo um colchão. Por sua vez, quando estiver conseguindo realizar a leitura de forma rápida utilizando o colchão, poderá passar a outro estrutura ainda mais maleável. Dessa forma, quando o avaliador estiver conseguindo posicionar as hastes do adipômetro sobre uma esponja e estiver realizando a leitura rápida, acredita-se que o mesmo já esteja com certa capacidade para realizar a leitura rápida sobre a dobra cutânea.

Obviamente, esta estratégia descrita acima não é a única, porém é uma forma de progressão para chegar a uma leitura mais rápida e acurada da espessura das dobras cutâneas.

Seguidores, não percam a vídeo aula de hoje.