Respostas cardiovasculares agudas em uma sessão de musculação está relacionada a intensidade e volume da sessão de treino.

treino_em_foco_análise_de_aritgos_resposta_cardiaca

Clik no link e baixe o artigo completo para sua análise.

O Treinamento Resistido com Pesos (TRP) é uma forma de exercitação física que nos últimos anos vem sendo praticado por diversos públicos, crianças, jovens, indivíduos de meia idade e idosos. Essa ampla realização está intimamente relacionadas aos inúmeros benefícios causados pela sua pratica como: aumento dos níveis de força muscular, resistência muscular localizada, potência, taxa de produção de força, aumento da área de secção transversal das fibras, volume miofibrilar entre outros. Um ponto interessante, é que a literatura atual apresenta que a pratica sistemática de sessões de TRP/musculação, ainda parece produzir aumento na força dos ligamentos, dos tendões, no conteúdo de colágeno e na densidade óssea. Esses benefícios citados podem ser   justificativa da ampla aplicação de sessões de TRP a diferentes públicos.

Durante a realização das sessões de TRP a literatura especializada apresenta que ocorrerá significativo estresse cardiovascular aguda. Ou seja, ocorrerá aumento da frequência cardíaca, volume sistólico de ejeção, débito cardíaco, pressão arterial sistólica e diastólica. Todavia, a magnitude das respostas cardiovascular aguda está intimamente relacionada a intensidade (por exemplo quilagem) e volume da sessão (por exemplo número de séries) de TRP.

Diante disso, o artigo de revisão que posto agora, teve como principal objetivo estabelecer os mecanismos fisiológicos que levam ao aumento dessas variáveis cardiovasculares apresentadas acima em uma sessão de TRP em homens jovens e idosos.

Como ocorre o aumento dos valores de frequência cardíaca?

 A Frequência Cardíaca (FC) é diretamente influenciada por uma integração do sistema nervoso central e muscular. Durante a contração do músculo esquelético, ocorrerá ativação de fibras aferentes e o aumento da produção de metabolitos a partir da atividade celular, com isso ambos parecem contribuir para as mudanças dos valores de FC durante o TRP. Além, disso, um aumento na estimulação simpática, aumento nos níveis de catecolaminas plasmáticas e um decréscimo na atividade parassimpática no início do exercícios também contribuem para o aumento dos valores de FC.

Um ponto importante a salientar é que o aumento da atividade simpática poderá estar intimamente relacionada ao componente estático das repetições e, a realização da manobra de valsava. A manobra de valsava tem mostrado causar taquicardia e ativação do nervo simpático, porque diminui a simpatonibição dos barorreceptores arterial. Uma diminuição do pH da célula muscular causa estimulação dos quimiorreceptores aferentes, que também podem contribuir para o aumento da FC. Por fim, um superior envolvimento da fibras musculares de contratação rápida e aumento da massa muscular ativa, também poderão estimular o aumento da FC.

Quais os mecanismos que levam ao aumento da volume sistólico de ejeção?

 O Volume Sistólico (VS) é influenciado pela pre carga, pós carga, contrabilidade cardíaca e FC. Também fatores extrínsecos, tal como, liberação de catecolaminas (adrenalina e noradrenalina) podem aumentar o estado inotrópico do coração e com isso o VS. A literatura apresenta que exercícios de TRP, são contrários aos exercícios aeróbios, pois impõem um aumento do estresse pós carga sobre o coração, qual produzirá somente variações mínimas no VS. Em geral, o VS permanece inalterado durante trabalhos leves, redução podendo ocorrer em trabalhos pesados. Contração muscular de alta intensidade resulta em diminuição da pré carga, aumento da pós carga, e diminuição geral da resposta da VS. A acentuação da pressão intrabdominal e intratorácica a partir da manobra de valsava pode inibir o retorno venoso, portanto diminuindo significativamente a VS.

análise_de_artigos_treino_em_foco

Por que o débito cardíaco aumenta?

Débito Cardíaco (DC) é baseado sobre ambas respostas inotrópica e cronotrópica, que determina a taxa de liberação de oxigênio para os músculos esqueléticos. Fatores da circulação periférica, como o retorno venoso ao coração, também influenciarão ao longo do mecanismo Frank-Satrling.  A oclusão arterial em reposta a contração muscular eleva a PAM criando um aumento na resistência sistemática, qual impede o retorno venoso do sangue para o coração. Essa resposta aguda limitará a influência do VS, assim aumento o DC ocorrerá primariamente em virtude do um aumento da FC.

Como ocorre o aumento da pressão arterial durante uma sessão de musculação?

A realização de exercícios resistidos induz aumentos simultaneamente da Pressão Arterial Sistólica (PAS) e da Pressão Arterial Diastólica (PAD). Esse fenômeno é conhecido na literatura como processo de reposta pressor. Esses aumentos na PAS e PAD produzem um aumento concomitante na pressão arterial média, com somente mudanças modestas no DC. A alta pressão intramuscular associada aos exercício promovem uma compressão mecânica sobre as vasos artérias, ocluindo a passagem do fluxo sanguíneos para o tecido ativo. O impedimento arterial tem o efeito de aumentar os produtos metabólicos como a H+, ácido lático, e adenosina difosfato.  A agregação desses co-produtos citados ativam terminações nervosas, qual eleva a PAM (reflexo pressor) em uma tentativa de aumentar o fluxo sanguíneo ao músculo ativos.

A literatura também apresenta que o mecanismo por trás dos aumentos dramáticos da pressão sanguínea, durante a realização de exercícios de TRP compreende de ambos, ou seja, componentes centrais e periféricos. O mecanismo central surge a partir da região supraespinhal do cérebro e é liberada em direção ao nível de comando do centro motor (esforço voluntário), enquanto o componentes periféricos, origina-se na atividade muscular e isto é estimulado proporcionalmente com a produção de força e o montante de massa muscular ativada.

treino_em_foco_treino_musculacao_parcelamento

O que é duplo produto e por que seus valores elevam-se?

A variável cardiovascular de duplo produto é considerada como uma importante medida não invasiva da demanda de consumo de oxigênio do miocárdio. Essa variável é advinda da multiplicação dos valores de FC + PAS. Dessa forma, um aumento significativo do DP é produzido durante a realização de sessões de TRP em reposta acoplada a um aumento da FC e PAS. A literatura apresenta que a FC é a maior importante determinadora da demanda de oxigênio do miocárdio, ou seja, durante a realização de sessões de TRP a FC tem maior poder influenciador nos valores de duplo produto.

Qual o comportamento da resistência vascular periférica durante uma sessão de musculação?

A Resistencia Vascular Periférica (RVP) representa o impedimento do fluxo de sangue através do sistema circulatório. A literatura apresenta que vários fatores afetarão a RVP, incluindo a viscosidade do sangue, a pressão hidrostática, e mais importante, diâmetro dos vasos. Os controles predominantes durante a realização de uma sessão de TRP são os mecanismo vasodilatador e vasoconstritor do sistema nervoso simpático. Adicionalmente, fatores humorais (catecolaminas e prostaglandinas) e controle local (pH, ácido lático e PC02) , influenciam diretamente a resistência periférica do fluxo sanguíneo.

treino_em_foco_radaptacao_destreinamento

Aplicação prática.

Os resultados da presente revisão indicam que o TRP de intensidade moderada a leve produz respostas cardiovascular similares em homens jovens e idosos saudáveis. Em todas as variáveis cardiovasculares revisadas, não observou-se resposta exageradas, qual poderia indicar um risco significativo a saúde dos idosos que realização TRP.

Seguidores, baixem o artigo e façam as suas análises.

Bons estudos.

Laboratorista Kayus César.